Café colombiano terá denominação de origem em 2013

Imprimir

Em 2013, o café do departamento de Huila, na Colômbia, terá sua Denominação de Origem, marca que diferenciará a qualidade do grão produzido nessa região frente aos das demais regiões produtoras de café do país. Com a denominação de origem, o café produzido em Huila poderá ser comercializado com um prêmio maior.

O gerente de comunicações e mercado da Federação Nacional de Cafeicultores da Colômbia, Luis Fernando Samper Gartner, disse que esse processo está sendo finalizado. "Esse processo está bastante avançado. Nós já solicitamos esse ano à autoridade competente, que nesse caso, é a Superintendência de Indústria e Comércio, o reconhecimento do café de Huila como denominação. Esse é um trabalho de vários anos de esforço e estudo. Apresentamos o café de Huila de diferentes colheitas e dos 35 municípios que existem no departamento. Obtivemos amostras e pudemos encontrar os parâmetros básicos que justificam a apresentação de uma solicitação de denominação".

Ele disse que a Federação agora espera que a Superintendência se pronuncie sobre o assunto. A previsão é que isso ocorra no início de 2013.

Segundo Gartner, com a denominação de origem, será possível que o café de Huila seja comercializado com um preço melhor e, inclusive, seja protegido de possíveis plágios. A solicitação de denominação de origem é um instrumento sofisticado de defesa e posicionamento do café colombiano e das regiões produtoras do grão, que vem se desenvolvendo com êxito há vários anos pela Federação de Cafeicultores. As denominações de origem são um privilégio daqueles produtos, em geral agrícolas, cujas qualidades e reputação estão associadas ao local de sua procedência. Os processos permitem garantir ao consumidor um produtos de alta qualidade e aos produtores um preço maior por comercializar café de excelente qualidade.

Além disso, as características únicas derivadas de fatores naturais como clima e solo, com a denominação de origem, são vinculadas a fatores humanos, culturais e de tradição, que como no caso do café de Huila, refletem-se nas práticas de cuidado do cultivo, coleta e beneficiamento.

O café de Huila recentemente ficou protegido para que possa ser comercializado livremente na Europa. A decisão foi tomada pelo Serviço de Marcas Europeu (OAMI), que declarou nulidade da marca "Huila" para os produtos "café e sucedâneos de café", o que significa que na Europa, nenhum café pode ser comercializado como se fosse de Huila, quando provenha de outras regiões.

Huila produz anualmente 1,4 milhão de sacas de 60 quilos, o que mantém o Departamento na primeira posição quanto à produção na Colômbia. A reportagem é do Lanacion.com.co, traduzida e adaptada pelo CaféPoint.

Fonte: CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *