BSCA promove nanolotes de cafés especiais a compradores internacionais

Imprimir
O cenário dos cafés especiais segue em constante evolução no Brasil, com novas fronteiras sendo abertas e grãos com excelência surgindo nas mais diversas origens produtoras. Para potencializar o nicho de mercado e promover esses produtos, a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realizou, entre 20 e 24 de janeiro, o “BSCA Micro-Region Showcase – Ilicínea”, programa que tem o objetivo de valorizar nanolotes de cafés especiais de colheita tardia e agregar valor para a cadeia produtiva ao aproximar produtores de compradores internacionais.

Com suporte da associada Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel), entidade que foi anfitriã do evento, 19 jovens e expoentes torrefadores internacionais, vindos de Estados Unidos, França, China, Suécia, Taiwan, Sérvia, Canadá, Rússia, Japão e Austrália, muitos dos quais não conheciam a realidade cafeeira e não compravam do Brasil, visitaram propriedades no Sul de Minas Gerais e estiveram em contato direto com 20 produtores, que tiveram suas amostras selecionadas nas etapas anteriores do programa e foram compradas em leilão presencial.

Segundo Elliot John Reinecke, da torrefadora Steady Staet dos EUA, foi “maravilhoso” provar e poder comprar tantos bons cafés brasileiros. “Conhecer o produtor fez o evento muito especial. Agora estamos estabelecendo vários relacionamentos com cafeicultores do Brasil e continuaremos comprando nos próximos anos”, revela.

Essa opinião também é compartilhada por Braydon Douglas Booher, da empresa norte-americana Deeper Roots. “Foi legal ver como as fazendas chamaram a atenção de todos os torrefadores. O leilão foi muito tranquilo e foi excelente conhecer os produtores. Descobrimos muitos personagens”, conta.

O empresário sueco Cenk Öner Kulbay, da Stockholm Roast, celebrou sua vinda e o fato de conhecer o cultivo de cafés em altitude elevada no Brasil. “Foi interessante ver fazendas de grande altitude, conhecer pequenas e grandes propriedades nesta minha primeira vez na região. Os processos técnicos e os cafés são muito interessantes e gostei do sistema de leilão”, declara.

Conforme a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, trazer jovens e notáveis torrefadores para conhecer o sistema produtivo cafeeiro no Brasil contribui para o crescimento dos cafés especiais nacionais, alavancando o mercado através de novos players e auxiliando a própria evolução desses jovens empreendedores em suas localidades.

Os compradores conheceram, em campo, a realidade da produção na região de Ilicínea, no Sul de Minas Gerais, e ficaram encantados com a excelência no processo produtivo. Ao provarem cafés especiais de diversas origens do Brasil, adquiriram 20 nanolotes de “cafés butique”, de colheita tardia, por valores que chegaram a US$ 30 por libra-peso, o que equivale a mais de R$ 16.500 por uma saca de 60 kg.

“Atingimos nossa meta de vender uma história, uma região, um produto e os produtores. Nossos cafeicultores entregaram cafés excepcionais e foram estimulados pelos compradores a continuarem nesse caminho de excelência. O projeto abriu novas portas, estreitou relacionamentos e possibilitou a venda desses ‘cafés butique’ para que esses torrefadores testem seus mercados com grãos brasileiros de finíssima qualidade”, destaca.

Entre as atividades do programa também constou o simpósio “Micro-Region Showcase”, que contou com palestras de Bruno Ribeiro, sobre “Práticas de pós-colheita”; Lucas Lousada, ministrando sobre “Estudos de fermentação na pós-colheita”; e Guy Carvalho, que falou a respeito de “Competitividade e sustentabilidade na produção de cafés especiais”.

BRAZIL. THE COFFEE NATION
O “BSCA Micro-Region Showcase – Ilicínea” integra as ações do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”, desenvolvido pela BSCA e pela Apex-Brasil com foco na promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no país. O projeto visa, ainda, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.

Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto se dá até maio de 2020, tendo como mercados-alvo: (i) Alemanha, Austrália, Canadá, China, Coréia do Sul, Estados Unidos, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido, Rússia, Taiwan (Formosa) e Turquia para os cafés crus especiais; e (ii) Argentina, China e Estados Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

Fonte: BSCA – Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *