Brasil pode ter produção recorde de café este ano e avança no mercado gourmet

Imprimir

O Brasil pode registrar este ano produção recorde de café, segundo informações da COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB). A colheita para a safra 2010 do grão deve ficar entre 45,89 milhões e 50 milhões de sacas de 60 quilos do produto beneficiado. Relatório da Organização Internacional do Comércio (OIC) é ainda mais otimista, prevendo que o volume da safra brasileira 2010/2011 pode passar de 50 milhões de sacas.

O cultivo foi favorecido pelo regime de chuvas regulares na primavera, coincidindo com a fase de floração nas regiões produtoras, e pode ultrapassar o recorde atual, do ciclo 2002/2003, de 48,48 milhões de sacas. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o acréscimo pode ser creditado aos aumentos da produção do produto em Rondônia (+34,8%), Espírito Santo (+2,3%) e Mato Grosso (+42,1%). Para se ter uma ideia, a produção de 45,89 milhões de sacas de café corresponde a 2,7 milhões de toneladas.

Em seu quinto Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado no mês passado, O IBGE informou que a área total ocupada com a cultura de café no Brasil é de 2.359.124 hectares.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), o Brasil é o maior produtor mundial de café, sendo responsável por 30% do mercado internacional, volume equivalente à soma da produção dos outros seis maiores países produtores. É também o segundo mercado consumidor, atrás somente dos Estados Unidos.

As áreas cafeeiras estão concentradas no centro-sul do país, onde se destacam quatro estados produtores: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Paraná. A região Nordeste também tem plantações na Bahia, e da região Norte pode-se destacar Rondônia. A produção de café arábica se concentra em São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Bahia e parte do Espírito Santo, enquanto o café robusta é plantado, principalmente, no Espírito Santo e Rondônia.

O Brasil vem conquistando maior parcela do mercado importador de café com a alta qualidade de seus cafés torrado em grão ou torrado e moído. O governo decidiu também melhorar a qualidade do café consumido dentro do país. Foi com esse objetivo que o Ministério da Agricultura assinou, no dia 24 de maio deste ano, instrução normativa estabelecendo critérios para garantir a qualidade do café oferecido ao consumidor. As novas normas deverão entrar em vigor em fevereiro de 2011.

As medidas, que abrangem o café torrado em grão e torrado e moído, definem um percentual máximo de impurezas, além de um padrão de sabor, aroma e fragrância. Com essas regras, o café produzido no Brasil ou o importado só poderá ter, no máximo, 1% de impurezas. A presença de umidade no grão torrado ou moído também não poderá ultrapassar 5%.

Fonte: Revista Cafeicultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *