Apex-Brasil e BSCA assinam novo convênio do Projeto que promove as exportações brasileiras de cafés especiais

Imprimir

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) assinarão, no dia 21 de junho, em Três Pontas, Minas Gerais, o novo convênio do Projeto Brazilian Specialty and Sustainable Coffees para o período de 2012 a 2014. Por meio do convênio, serão investidos, nos próximos dois anos, R$ 3,4 milhões em ações de promoção das exportações brasileiras de cafés especiais. O Projeto já conta com 81 participantes, entre produtores, cooperativas e empresas.

O convênio será assinado durante o Seminário Apex-Brasil: Exportar é Inovar, que tem o objetivo de oferecer às empresas do setor informações sobre o trabalho de promoção de exportações realizado pela Apex-Brasil e sobre como os empresários podem ter acesso aos produtos e serviços oferecidos pela Agência.

O Projeto Brazilian Specialty and Sustainable Coffees tem como foco a promoção comercial do setor para o mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos cafés brasileiros em todo o mundo e  posicionar o Brasil como fornecedor de produto de alta qualidade com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no país. O Projeto visa, também, expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção brasileira de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.

Parceria

A parceria da Apex-Brasil com a BSCA começou em 2008 e, desde então, já foram realizados dois projetos, totalizando investimentos de mais de R$ 4 milhões. A adesão cresceu bastante: passou-se de 27 empresas (quando foi assinado o primeiro convênio) para as atuais 81, com progressiva ampliação do escopo de atuação. Também houve aumento exponencial do valor das exportações das empresas participantes do Projeto, que passou de US$ 8 milhões, em 2008, para US$ 132 milhões, em 2011, o que representa um crescimento de 1.650% no período.

Com vigência até o final de 2014, o Projeto tem os seguintes mercados-alvo: Alemanha, Austrália, Bélgica, Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos, Finlândia, Itália, Japão, Reino Unido e Taiwan. Nesses países, serão realizadas ações estratégicas, como a participação em feiras e em outros eventos, incluindo os Projetos Carnaval  e Fórmula Indy,  da Apex-Brasil, além de parcerias com projetos setoriais de outros segmentos da economia brasileira.

“O investimento na promoção de cafés verdes especiais do Brasil fortalece a imagem do país como origem de cafés da mais alta qualidade e posiciona o produto brasileiro em novos patamares”, explica o diretor de Negócios da Apex-Brasil, Rogério Bellini. “Isso agrega valor aos produtos brasileiros, que passam a se destacar por qualidade e não por preço, gerando renda e competitividade para os produtores, as cooperativas e as empresas”.

Bellini enfatiza que a Apex-Brasil é parceira do agronegócio brasileiro. “Produzimos alimentos de qualidade para o mundo, com preços competitivos, com sustentabilidade e inovação. Essa é a imagem que queremos para o setor de cafés do Brasil”, diz.

Para o presidente da BSCA, Luiz Paulo Dias Pereira Filho, o Projeto Brazilian Specialty and Sustainable Coffees é de vital importância para os produtores brasileiros de cafés especiais e diferenciados. “Por meio do Projeto, consolidamos e ampliamos nossa participação em volume e receita em mercados tradicionais (como Japão, Estados Unidos e países da Europa) e, principalmente, introduzimos nossos cafés em novos nichos de mercado, como a Coreia do Sul e a China. É da China o comprador do lote vencedor do Cup of Excellence – Natural Late Harvest de 2011".

Cafés especiais e diferenciados

No mercado mundial dos cafés diferenciados, existem planilhas que são utilizadas para a avaliação sensorial e de qualidade gustativa da bebida. Os itens técnicos julgados por provadores e degustadores profissionais são aroma, uniformidade, xícara limpa, doçura, sabor, acidez, corpo, sabor remanescente, balanço e nota geral.

Com base nesses atributos, os cafés são julgados em uma escala de 0 (zero) a 100 pontos. Os que não atingem nota superior a 79 são considerados convencionais. Os cafés com nota de 80 a 84 pontos são classificados como especiais, e os que obtêm notas superiores a 85 pontos são cafés considerados raros, finíssimos, “presidenciais”, ou simplesmente gourmets.

Quem não é especialista também pode entender o que é um café especial ou gourmet, segundo a diretora executiva da BSCA, Vanusia Nogueira. “Esses produtos diferenciados são marcantes e podem ser identificados pelo aroma incomparável que deixam nos ambientes, em especial nos nossos lares, e pelo seu sabor peculiar no ato do consumo”, explica. “O café especial é uma bebida que pode ser degustada sem adição de açúcar ou adoçante e, ainda assim, a lembrança do gosto cria uma sensação de não querermos perdê-lo em nosso paladar”.

Exportações brasileiras de cafés diferenciados

A partir deste ano, o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (CeCafé), entidade responsável pela compilação dos dados referentes aos embarques do produto feitos pelo país, passou a discriminar os cafés diferenciados em seus balanços mensais. A distinção entre esses tipos de cafés em relação aos cafés convencionais é feita com base em atributos informados pelo vendedor no ato do embarque, como "cafés lavados", "orgânicos", "semilavados", "especiais gourmet", "certificados" e "bebidas moles".

No acumulado dos quatro primeiros meses de 2012, as remessas ao exterior totalizaram 2,1 milhões de sacas de café diferenciado beneficiado de 60 kg, respondendo por 28% da exportação total dos cafés em grão e por 24,5% dos embarques totais (incluindo café torrado e moído, solúvel e extratos de café).

A receita obtida com a remessa dos cafés diferenciados ao exterior foi de US$ 658,4 milhões, ou US$ 312,78, em média, por saca de 60 kg. O valor é equivalente a 33% da receita obtida com a exportação de café em grãos e a 30% das exportações totais de cafés.

Atenciosamente,

Marina Figueiredo
Assistente Administrativo/Assistant

Fonte: Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *