Qualidade dos grãos da nova safra é preocupante

Imprimir

A colheita de café está apenas se iniciando no Brasil. Conforme noticiou a Agência Estado em 20 de abril, no Sul de Minas, principal região produtora do país, "alguns produtores começaram os trabalhos, mas resolveram esperar um pouco mais porque ainda há muitos grãos verdes, principalmente na parte de baixo da planta, que está com muitas folhas", informa um gerente de comercialização de cooperativa da região. Além disso, os cafezais tiveram de três a quatro floradas, o que prejudicou a uniformidade de amadurecimento dos grãos. "Nem mesmo a colheita seletiva se mostra favorável neste momento", acrescenta.

O leitor do CaféPoint Willem Guilherme de Araújo, de Guaxupé/MG, comentou que "no Sul de Minas, embora haja realmente uma uniformização do tamanho dos frutos, devido ao prolongamento do período chuvoso haverá certamente queda na qualidade devido à maior incidência de doenças como cercosporiose, antracnose e outros fungos deterioradores. Também haverá atraso na colheita devido a escassez e ao custo elevado da mão-de-obra na região. Com isso, os cafeicultores deverão adiar o início da colheita ou ainda iniciar com poucos trabalhadores".

"Devido as diversas floradas, a planta apresenta grãos que vão do verde ainda em formação ao seco. Esse será um ano de muito café de varreção, portanto haverá uma diminuição dos cafés finos com baixa catação e peneiras altas", afirma o cafeicultor Ricardo Peres Junior, de São Sebastião do Paraíso/MG

Na região de Araguari/MG, Cerrado Mineiro, houve queda acentuada no número de grãos em maturação e também maduros devido ao excesso de chuva, o que provocou aumento de mão-de-obra e consequente baixa qualidade do produto, conforme informou o leitor Wander Nader.

Em Guaçuí/ES, região de montanha, a situação não é muito diferente. Edimar Gonçalves Carvalho, expôs que haverá queda na produção e na qualidade, principalmente no tamanho das favas, devido principalmente à estiagem prolongada nos meses de janeiro e fevereiro de 2010.

Quanto à qualidade da bebida, Edimar acrescentou que será afetada pela desuniformidade da maturação, reduzindo drasticamente o volume de cafés bebida dura e cereja descascado (CD) da região.

Nota-se que a situação das lavouras não está muito favorável à produção de grãos de qualidade. Com a escassez de cafés finos, os produtores que ainda possuem esse tipo de grão estão comandando o mercado, uma vez que compradores precisam do produto.

Em função da espera por grãos da nova safra, o mercado interno não está realizando muitas negociações. Com tais dificuldades, qual será a saída para que os produtores garantam a qualidade dos grãos colhidos e remuneração? O que você tem feito nesse sentido?

Fonte: Cafe Point

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *