Belo Horizonte recebe Seminário de Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo

Imprimir

Na quarta-feira, dia 3 de agosto, Belo Horizonte (MG) vai receber o 3º Seminário de Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo.

A série de eventos é uma realização da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e o Canal Rural, idealizada para discutir os desafios e as oportunidades para um mundo mais sustentável e as contribuições que o sistema cooperativo pode oferecer para atingir esse resultado.

Na oportunidade, com o apoio da Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), painelistas e convidados vão discutir os caminhos para a redução do metano na pecuária e as inovações e tecnologias na cafeicultura.

Sustentabilidade

Para o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, a iniciativa do projeto, que já teve etapas realizadas em Curitiba (PR) e Manaus (AM), serve para fomentar cada vez mais as práticas sustentáveis no agronegócio brasileiro. “Queremos expandir isso e levar o cooperativismo como um modelo para desenvolver sustentabilidade e inovação”, afirma Freitas.

Seminário em Curitiba

Na primeira etapa, em Curitiba, no dia 25 de maio, foram debatidos os compromissos assumidos pelo Brasil na COP 26. Uma parceria com a Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar). Na oportunidade, algumas cooperativas associadas mostraram o que já está sendo feito no estado em relação à preservação ambiental.

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, esteve presente e destacou as ações do governo federal voltadas ao mercado de carbono e as projeções para a próxima conferência. “Nós estamos aqui para mostrar um pouco como as cooperativas podem atuar nesse novo mercado, que temos que começar a implementar. A gente espera que, na COP 27, seja possível implementar esse mercado global de forma multilateral, para trazer receita extraordinária para projetos sustentáveis aqui no Brasil”, disse Leite.

Etapa de Manaus

A Amazônia, que tem a maior bacia hidrográfica e a maior floresta tropical do mundo, recebeu o segundo seminário no dia 6 de julho, em Manaus. Em uma parceria com a Organização das Cooperativas do Brasil no Amazonas (OCB/AM). Os principais temas abordados foram os critérios e fontes de recursos para o financiamento de projetos sustentáveis.

Além disso, os painelistas deram dicas de como produtores rurais e cooperativas agrícolas podem desenvolver projetos inovadores.

Para captar esses recursos, o diretor de participações no mercado de capitais do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Bruno Laskowsky, apresentou para os participantes alguns critérios importantes que precisam ser levados em conta e que podem ser aliados dos produtores rurais.

“A gente acredita que essa moeda crédito de carbono é uma moeda típica de mercado financeiro, na medida em que a gente consegue gerar relação de troca e essa relação caminha na direção de uma economia de baixo carbono”, afirmou Laskowsky. O BNDES trabalha para que no próximo ano, todos os empréstimos da instituição informem a “contabilidade de carbono” do projeto para qual irão os recursos.

Inovação e sustentabilidade no cooperativismo

O elo para a inovação e a sustentabilidade no cooperativismo do agronegócio brasileiro está se direcionando para o caminho da expansão, aponta o diretor de Conteúdo do Canal Rural, Giovani Ferreira.

“Eu entendo que a gente está criando uma conexão entre a iniciativa pública e privada para que de fato isso aconteça e o mais rapidamente possível. Na COP 26, nós não só ampliamos as metas de redução de emissões, como o Brasil assumiu compromissos com a comunidade internacional. Como a gente antecipou algumas metas, a gente precisa ser muito prático e rápido para dar resposta à sociedade brasileira, em primeiro lugar, mas principalmente à sociedade internacional”, afirma Ferreira.

O Sistema OCB e o Canal Rural devem participar da cobertura da COP27, entre 7 e 18 de novembro deste ano, em Sharm el-Sheikh, no Egito.

Fonte: Canal Rural