AGO da Minasul apresenta resultado recorde e define nova composição dos conselhos administrativo e fiscal

Imprimir
A Minasul, Cooperativa Agroindustrial de Varginha, realizou nesta quinta-feira (17) sua Assembleia Geral Ordinária, AGO, para prestação de contas correspondente ao exercício do ano 2021 – que foram aprovadas por unanimidade. Com resultado abrangente recorde, a Cooperativa apresentou o valor de R$ 39 milhões. Após a destinação dos valores para fundos legais, a Assembleia aprovou a distribuição de R$ 9,4 milhões, proporcional à movimentação financeira de cada cooperado – valor este que será incorporado ao capital social de cada um. Vale lembrar que a Minasul distribuiu, antecipadamente, R$ 2 milhões para seus cooperados, conforme bonificação por depósito de café da safra 2021/2022; e começou a repassar, ao final do no passado, a primeira parte dos R$ 35 milhões do FunRural – Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural, liberada pela Receita Federal e que os cooperados Minasul terão direito. A Minasul foi a primeira empresa a ter seu processo deferido pelo órgão.

A AGO também elegeu os novos conselheiros administrativo e fiscal. Conforme aprovada em Assembleia Geral Extraordinária, AGE, realizada em 17 de fevereiro deste ano, a composição do conselho de administração da Minasul passa a ser de nove membros sendo quatro deles definidos como diretores executivos. Eduardo Moraes Ferreira, Galeno Vitoi Ribeiro, Guilherme Henrique Andrade Junqueira, Gustavo Rennó Reis Almeida e Willian Pedro Franco nomearam, para a diretoria executiva, Jose Marcos Rafael Magalhães como presidente, Bernardo Reis Teixeira Lacerda Paiva como diretor técnico e de desenvolvimento, Guilherme Salgado Rezende como diretor comercial, e Marcelo Castilho Ramos que passa a integrar a nova diretoria administrativa financeira, a partir deste mandato. Marcelo, que é produtor de cereais e citrus na região de Campanha/MG, permaneceu por 12 anos à frente da gerência administrativa financeira da Cooperativa. “Estar à frente agora da diretoria administrativa financeira consolida o trabalho que vem sendo feito ao longo de vários anos e sempre com objetivo de trazer recursos para suportar o crescimento da Minasul com foco no apoio ao cooperado. Será mais um desafio na minha carreira que espero continuar conduzindo com a dedicação de sempre”, comentou Marcelo Ramos. A AGE também definiu, a partir deste ano, mandato de quatro anos, ou seja, a gestão do conselho de administração empossado será de 2022 até 2025.

Também tomaram posse, os membros do Conselho Fiscal, gestão 2022-2023, tendo Adriano Correa Brito, Ana Luiza Almeida Veiga, Guilherme Borges Frota, João Artur Siqueira Rodrigues, Otávio Lima Moreira Reis e Paulo Rezende Paiva, a responsabilidade de representar os interesses dos quase nove mil cooperados que a Minasul possui.

A Assembleia ainda aproveitou a ocasião para homenagear nomes importantes da história da Minasul e que foram essenciais no resultado apresentado pela Cooperativa nos últimos mandatos. Evandro Ferreira, produtor de cereais (milho, soja, trigo, feijão), além de produtor de café e pecuarista de corte, na região do Campo das Vertentes, que foi conselheiro da Minasul por seis anos, sendo quatro deles, no administrativo; e Fernando Graciano Pereira, que dedicou os últimos 15 anos à Minasul, como conselheiro, se dividindo entre a Cooperativa e a produção de café, milho, soja e feijão, além de pecuária, na região de Conceição do Rio Verde / MG.

O presidente da Minasul, José Marcos Rafael Magalhães, agradeceu a presença de todos e, mais uma vez, enalteceu que o resultado apresentado nesta AGO é fruto da confiança dos produtores, esforços dos colaboradores e parcerias junto aos fornecedores e, principalmente, da aceitação dos clientes pelos produtos da Cooperativa. “Os novos desafios são grandes, mas a Cooperativa está estruturada e preparada para enfrentar todos os obstáculos e mais que isso, aproveitar as oportunidades que também surgirão. É muito importante dizer que estaremos comprometidos com os princípios da ESG, sigla em inglês que significa Ambiental, Social e Governança. Isso reforça todo o comprometimento que a Cooperativa tem com os objetivos de desenvolvimento sustentável, ODS, estipulados pela ONU – Organizações das Nações Unidas”, concluiu José Marcos. Dentre os 17 ODS, a Cooperativa espera, em até dois anos, atender a dez destes itens.

Fonte: Comunicação Minasul