Volume de chuva é insuficiente para recuperar barragens no norte de MG

Imprimir
O volume de chuva que caiu no norte de Minas Gerais ainda não foi suficiente para garatir a recuperação das barragens e o desenvolvimento das lavouras da região, que ficaram comprometidos depois de sofrerem vários meses de estiagem.

No semiárido mineiro, o sol nasce e anuncia mais um dia de muito calor. O cenário tornou-se rotina pela região, o que tem dificultado a vida dos agricultores. Em janeiro, choveu 150 milímetros. Mas depois de meses de pouquíssimas chuvas, a quantidade ainda não foi suficiente para recuperar lavouras e encher açudes.

Quase três mil produtores dos municípios de Mamonas e Espinosa foram inscritos no Programa Garantia Safra. Parte dos recursos recebidos foi aplicada na compra de sementes. Mas a pouca chuva, principalmente no mês de dezembro, que teve média de 55 milímetros, comprometeu o desenvolvimento das lavouras. Em 90% das plantações desses municípios é possível ver que o capim não brotou e o sorgo e milho foram atacados por pragas. Apenas a palma resiste à estiagem.

A falta de chuva também compromete o nível dos reservatórios da região. A barragem do Estreito, em Espinosa, está com 25% da capacidade. “Nós temos praticamente nossos maiores afluentes da barragem do Estreito comprometidos, ou seja, eles estão praticamente secos”, diz Alberto Muniz, secretario de Agricultura de Espinosa.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *