Volcafe prevê déficit de café para a próxima estação

Imprimir

As expectativas para o tamanho do déficit de café na próxima estação, extensão pela qual a demanda ultrapassará a oferta, estão aumentando. Na última semana de agosto, a suíça Volcafe, divisão de café da trading de commodities ED&F Man, mudou sua previsão para a estação de café e 2015/2016 de um excedente para um déficit global.

A Volcafe espera que a demanda global de café exceda a oferta em 3,5 milhões de sacas de 60 quilos em 2015/2016. Em maio, a Volcafe previu um excedente global de café em 2015/2016 de 1,3 milhão de sacas. Isso marcará a segunda estação de déficit global de café. 

“Continuamos antecipando um déficit de 6,4 milhões de sacas em 2014/2015”, disse a Volcafe, acrescentando que esperava que a queda nos estoques brasileiros aumentassem o déficit, deixando os menores estoques para a estação de 2015/2016.

A maior disponibilidade de café robusta comparado com o arábica, devido às expectativas de maiores estoques nos países produtores de robusta, deverá estimular uma mudança no uso de robusta em blends.

“Em 2015/2016, projetamos que os importadores aumentem o uso de robusta em 4% e reduzam o uso de arábica brasileiro em 7%, resultando em um déficit de 2,2 milhões de sacas para o robusta”. 

O Volcafe cortou sua estimativa para a produção de café em 2015/2016 em 4,9 milhões de sacas, para 149,6 milhões de sacas, com menor produção vista no Brasil, Vietnã e Colômbia, entre outros. “Os estoques continuam cobrindo as expectativas de demanda para a próxima estação, mas os estoques reguladores serão mínimos no final de 2015/2016”.

A produção global foi prevista em 143,8 milhões de sacas para 2014/2015. A Volcafe prevê que a próxima colheita do Brasil será de 48,3 milhões de sacas, menos que as 51,9 milhões de sacas previstas em maio. As estimativas do mercado vão de 45 milhões a 51,8 milhões de sacas.

A Volcafe notou um tamanho pequeno dos grãos e a baixa conversão de cerejas a grãos durante a última colheita. A produção de arábica deverá ser de 32,6 milhões de sacas e a de robusta, de 15,7 milhões de sacas. Isso marcaria uma redução de 0,9 milhões de sacas com relação ao ano anterior e a melhor colheita brasileira desde 2011/2012.

As colheitas brasileiras combinadas de 2014/2015 e 2015/2016 seriam 14% menores do que os dois períodos anteriores, disse a Volcafe, citando o clima seco em 2015 e início de 2015.

A produção de café da Colômbia foi prevista em 13 milhões de sacas em 2015/2016, 12,5 milhões de sacas a mais que em 2014/2015.

O Vietnã, maior produtor de robusta do mundo, deverá produzir 30 milhões de sacas em 2015/2016, menos que as 30,5 milhões de sacas previstas em maio, à medida que os produtores favorecem outras colheitas, como pimenta. “Uma pesquisa sobre a colheita no começo do verão confirmou as expectativas de maior colheita, mas notamos uma redução modesta nos rendimentos”, disse o Volcafe. “A irrigação foi capaz de compensar alguns importantes fatores negativos devido ao início tardio da estação chuvosa, mas em algumas áreas, o estresse hídrico era evidente”.

Fonte: Agrimoney via CaféPoint (com tradução de Juliana Santin)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *