Volatilidade em Nova York deixa mercado físico com poucos negócios na segunda-Feira

Imprimir

Mercado físico brasileiro agitado, mas a volatilidade atrapalhou as negociações. Mercado muito firme, especialmente para as melhores bebidas. A queda de 0,65% no dólar não prejudicou.

No Sul de Minas agitado, mas com poucos negócios em virtude da volatilidade em NY.

Reportadas 1.943 sacas da Cocatrel para a Sara Lee a R$ 470 posto Varginha com 20%. No pico de mercado indicação de café fino a R$ 475. A acomodação no final ajudou a esvaziar o mercado, contribuindo para alargar a distância entre as pontas. Indicação de compra a R$ 265 e venda a R$ 470 para bebida em torno de 15% de catação.

No Cerrado mineiro indicação de compra de R$ 470 para trás para café com 15% de catação.

Comprador cabreiro em sustentar essa base de compra. A alta segue sem sensibilizar os vendedores. Um café mais fino pode chegar a R$ 475, dependendo do aspecto e catação. Peneira 17/18 entre R$ 500 a R$ 510. Ideia de fixação de safra nova com 15% de catação ao redor de R$ 440 aR$ 450 para setembro.
Zona da Mata abre a semana firme. As idas e vindas externas trouxeram alguma confusão e muita agitação ao mercado nessa segunda-feira.

Mas no geral, a procura continua elevada, particularmente aquecida para as bebidas melhores. Já a oferta segue curta. E isso garante a firmeza das dos preços. Comprador de bebida dura continua agressivo, falando em R$ 435 a R$ 440. Exportadora Guaxupé chegou a indicar ao longo do dia R$ 450, mas é bastante seletiva por qualidade. Café duro-riado na faixa de R$ 420 e duro-riado-rio entre R$ 310 a R$ 320. Peneira rio 14/16 a R$ 270 e 17/18 de R$ 290 até R$ 300 Despolpado sinalizado pela Atlântica a R$ 500.

No pico de mercado, ideia isolada envolvendo qualidade específica a R$ 525. Safra nova indicando CPR a R$ 417 para tipo 6 entrega em setembro.

No Norte do Paraná dia de poucos negócios e preços firmes. A volatilidade de NY ajudou a atrapalhar as negociações, já amarradas por conta da oferta curta. Bebida dura a R$ 430 com 20% e duro-riado a R$ 400. Bebida rio indicada de R$ 255 aR$ 260 dependendo da catação.

No Espírito Santo pouca coisa. Conillon tipo 7 entre R$ 203 a R$ 204. Café rio a R$ 250 e bebida dura de R$ 355 a R$ 360 a saca. Ideia de safra nova para conillon 7/8 aR$ 190 para entrega e pagamento em maio. Em Rondônia travado e preços estáveis. Conillon de 400 defeitos a R$ 190 na porta da fazenda.

Fonte: Safras & Mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *