VERGONHA: NOVA MÍNIMA NEW YORK 126,80 CTS/LB – PREÇOS DE OUTUBRO DE 2009

A turbulência que parece não ter fim deixa os produtores indignados, uma vez que sem qualquer política de sustentação dos preços, estes ficam mais do que perdidos e amargando prejuízos significativos. Isto ocorre justamente com empresários rurais que dão empregos, pagam impostos exorbitantes e se encontram totalmente abandonados, sempre a mercê de um grupo pequeno de especuladores externos, que se quer conhecem de perto as plantações da cultura.

 

Isto ocorre também em função da desunião e carência de representantes do setor, que nos últimos anos cometem os mesmos erros, ou seja, imploram por verbas para financiamento e nunca exigem uma política decente para o setor. Esta geração precisa ser urgentemente substituída, assim como os políticos que se dizem ser a voz dos produtores em Brasília, sob pena de continuarmos mergulhados nesta crise sem precedentes.

Os exorbitantes lucros desta onda negativa e especulativa vão para as mãos de um grupo pequeno de investidores internacionais, com o governo brasileiro assistindo tudo de camarote e parecendo não se importar, sob pretexto de se tratar da chamada “lei do mais forte”. Diferentemente do que vemos nos outros países, principalmente os mais desenvolvidos do mundo, onde os produtores exigem e são atendidos pelos seus governantes, que simplesmente protegem os seus produtos com política de manutenção dos preços acima dos custos de produção, sem interferir diretamente nas bolsas de futuros.

A prova disso fica por conta dos Estados Unidos, onde os produtos produzidos no país são negociados apenas na bolsa de Chicago, onde existem mecanismos contra especulações exageradas, tanto para alta como para baixa, garantindo remuneração justa para os produtores em detrimento de lucros dos aproveitadores.

Como produtor indignado e sentindo na pele os efeitos deste movimento, acho que está na hora de buscarmos nos unir e impedir a “quebradeira geral” do setor, que em nosso estado e em outras regiões produtoras é o maior gerador de empregos e distribuidor de renda, fatos valorizados pelos governos mundo afora, aqui ultimamente totalmente deixados de lado. Tenho certeza que depende somente de nós e que iremos vencer mais esta batalha, haja vista que já enfrentamos e tivemos êxito em outras crises de mesmas proporções.

Grande abraço,

* Airton Neves de Deus – Corretor de Café e proprietário da Corretora Sancafé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *