Venda de café do Brasil da safra 20/21 segue forte e atinge 40%, diz Safras

Imprimir
A comercialização da nova safra de café do Brasil, temporada 2020/21 (julho/junho), que está em colheita, alcançou 40% do total até 7 de julho, disse a consultoria Safras & Mercado em boletim nesta quinta-feira, ao registrar avanço de 6 pontos percentuais frente ao mês anterior.

As vendas estão à frente do ritmo registrado no mesmo período da safra anterior (34%) e também acima da média dos últimos cinco anos (30%), disse a consultoria, que calcula que 27,44 milhões de sacas de 60 quilos já foram negociadas.

A estimativa tem como base uma produção brasileira de café em 2020/21 de 68,1 milhões de sacas.

O consultor Gil Barabach, da Safras, comentou em nota que uma queda nos preços ao longo de junho tirou o fôlego das negociações no mercado físico interno.

“Mas, mesmo com o arrefecimento no ritmo de vendas, a comercialização continua bem acelerada. O produtor soube aproveitar os repiques de preços para apressar as suas posições antecipadas. E, com isso, conseguiu escalonar muito bem o seu fluxo comercial, entrando na temporada 20/21 bem vendido.”

O café arábica está em ritmo mais avançado, com 42% da produção vendida, acima dos 33% no mesmo período do ano anterior e dos 29% na média dos últimos anos.

Já as negociações de café robusta ganharam intensidade com o avanço da colheita e chegaram a 36%, segundo a Safras, contra 36% em 2019 e 34% na média.

Já a colheita do café da safra 2020/21 atingia 56% até 7 de julho, segundo a consultoria, com avanço de 8 pontos percentuais em uma semana.

No ano passado, 68% da safra estava colhida nesses período, enquanto a média dos últimos anos é de 58%.

“Continua muita atrasado, especialmente na comparação com igual período do ano passado. Destaque à qualidade da bebida no arábica. E atenção aos sinais de quebra na safra de conilon do Espírito Santo”, apontou Barabach da Safras.

A colheita do arábica alcançava 46% da safra, contra 60% no ano passado e 48% da média dos últimos cinco anos. No robusta, os trabalhos estavam em 79%, também abaixo do ano anterior (84%) e da média recente (86%).

Tomando por base a estimativa da consultoria para a produção de café do Brasil em 2020/21, de 68,1 milhões de sacas de 60 quilos, a colheita já somou 38,05 milhões de sacas até dia 07.

Fonte: Reuters (Por Luciano Costa)