Varginha registra chuvas superiores à média histórica em Junho

Imprimir

O índice pluviométrico do mês de junho em Varginha (MG), no sul de Minas Gerais, foi de 110,6 milímetros, volume superior à média histórica para o mês, que é de 33,5mm. No final do mês, foi registrado um armazenamento hídrico de 88,9mm e um excedente de 68,8mm, segundo o levantamento do Procafé (Programa de Apoio Tecnológico à Cafeicultura) de Varginha, ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A evapotranspiração em Varginha foi indicada em 42,5 mm em junho.

A temperatura média no período foi de 17,2C, superior a média histórica, que é de 16,7 graus em junho. A temperatura máxima absoluta foi de 26,8C e a mínima 9,4C. Quanto ao crescimento vegetativo, 7,0 nós por ramo foi o crescimento médio anotado, valor inferior à média histórica.

Em relação especificamente a doenças, nas lavouras sem controle, amostradas na Fazenda Experimental de Varginha, o índice médio de infecção por Ferrugem foi de 55,7%, aponta o Procafé. A infecção por cercóspora teve média de 5,1%. Já a phoma não teve incidência, assim como o bicho mineiro e o ácaro vermelho. A broca, por sua vez, não teve amostragem, segundo o Procafé.

————————————————————————–
** O Procafé ainda divulgou um ALERTA GERAL para as regiões avaliadas:

“- Os índices pluviométricos de junho ficaram acima da média para o período na região de Varginha. Em todas as regiões houve excedente hídrico para o período, média de 52,2 mm. A quantidade média de água armazenada (88,2 mm) nas regiões de Varginha, Carmo de Minas e Boa Esperança ao final de junho estão suficientes, dispensando o uso de irrigação.

– Os índices de ferrugem nas lavouras sem controle amostradas apresentaram um aumento de 30% em relação ao mês de maio na média das quatro regiões, principalmente nas regiões de Carmo de Minas e Muzambinho. Durante o mês de junho verificou-se queda de folhas infectadas, com desfolha mais acentuada naqueles talhões de alta carga. Nesta época, a aplicação de fungicidas não é mais recomendada visto que a ferrugem se encontra no final do seu ciclo.

– Os índices de infecção de phoma nos talhões de Carmo de Minas e Muzambinho sugerem monitoramento, principalmente em lavouras esqueletadas, com potencial de safra para 2013 e também naquelas que foram danificadas durante a colheita.

Se constatado, o controle deve ser efetuado com fungicidas específicos para o patógeno.

– Como estamos no período de colheita, verificar os intervalos de segurança na bula dos fungicidas e inseticidas, observando o período de carência dos defensivos utilizados.”

————————————————————————–
PERIODO – JUNHO 2012      LOCAL – VARGINHA
———————————————————————-
1 – INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS E FENOLÓGICAS
———————————————————————-
Temperatura Média     Precipitação        Crescimento       Déficit
(Graus Celsius)          (mm)           número nós/ramo     Hídrico
74/10     2012       74/10     2012      99/10     2012       (mm)
———————————————————————-
16,7       17,2        33,5    110,6        7,3      7,0        0,0
———————————————————————-

2- OCORRENCIA DE PRAGAS E DOENÇAS
FOLHAS/FRUTOS ATACADOS %
—————————————————————————
Tipo de Plantio  Ferrugem   Cercospora    Bicho      Phoma    Broca   Acaro
e produtividade                          Mineiro
—————————————————————————
Adensado c/       85,0         6,5         0,0        0,0      —      0,0
Carga Alta
—————————————————————————
Adensado c/       25,0         2,0         0,0        0,0      —      0,0
Carga Baixa
—————————————————————————
Largo c/          93,0         7,5         0,5        0,0      —      0,0
Carga Alta
—————————————————————————
Largo c/          20,0         4,5         0,5        0,0      —      0,0
Carga Baixa
—————————————————————————

Fonte: Safras & Mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *