UFLA inicia pesquisa sobre cafés especiais, de origem e sustentáveis

Imprimir

No último dia 11 de junho o Grupo de Estudos em Marketing e Comportamento do Consumidor (GECOM) da Universidade Federal de Lavras iniciou um novo projeto de pesquisa focado totalmente no mercado de cafés diferenciados e especiais. O projeto está dividido em pesquisas específicas com diferentes empresas, mercados alvo e públicos.

A mestranda Caroline Mendonça é coordenadora do projeto que irá analisar as estratégias de posicionamento de empresas brasileiras que comercializam cafés especiais no mercado interno brasileiro. Este mercado passou por grandes modificações nos últimos anos, surgindo toda uma nova classe de empresas torrefadoras, cafeterias e varejo de cafés com atributos de qualidade que antes eram exclusividade dos consumidores internacionais. Muitas destas empresas são de propriedade de produtores de cafés especiais, que acreditaram na revolução da qualidade que tomou conta do mercado nacional. Analisar as estratégias de sucesso que levaram estas empresas a conquistar este espaço no mercado servirá de importante ferramenta de benchmarking para consolidar o mercado de cafés especiais no Brasil.

Do outro lado da história, compreender o comportamento destes novos consumidores de cafés especiais é de extrema importância para torrefadores, cafeterias e mesmo os cafeicultores brasileiros. Desta forma, a mestranda Lilian Viana pretende ir a fundo à mente dos consumidores de cafés especiais no Brasil, tentando identificar seus valores e percepções no ato de consumo. O grande objetivo é encontrar características específicas destes consumidores, de forma a conseguir subsídios para desenvolver novas ferramentas de comunicação e mensagens mais adequadas a este público.

No início de junho, o grupo formado pelos alunos Caroline Mendonça, Lilian Viana e o coordenador do projeto, Paulo Henrique Leme, visitou uma empresa focada na produção, comercialização, torrefação e venda de cafés especiais em cafeteria própria localizada em Minas Gerais. Este foi o primeiro passo para o projeto, que nos próximos três anos pretende trazer novidades para este importante segmento dos Cafés do Brasil.

Segundo o coordenado do projeto, Paulo Henrique Leme, o GECOM está aberto para parcerias com outros grupos de pesquisa, associações de cafeicultores, torrefadores e varejo para trocar experiências e os resultados do projeto. Empresas privadas interessadas também podem entrar em contato.

“Este é apenas o passo inicial do projeto, pretendemos ainda estudar grupos específicos, como as mulheres e jovens consumidores de café, além de expandir pesquisas na área de origens produtoras e cafés sustentáveis. Em última instância, pretendemos fechar a pesquisa analisando o comportamento dos consumidores na Europa e EUA”, afirma Paulo Henrique Leme.

GECOM/UFLA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *