Traders comerciais motivaram novos contratos de grãos, diz ICE

Imprimir

A IntercontinentalExchange (ICE) afirmou que a decisão de lançar contratos futuros e opções de grãos e oleaginosas na bolsa ICE Futures US resultou do interesse de participantes não-especulativos do mercado, como agricultores e cerealistas. Segundo o diretor de operações da ICE, Ben Jackson, integrantes do mercado comercial manifestaram o desejo por novos contratos de milho, trigo, soja e derivados de soja. Jackson disse ainda que os contratos complementam as soft commodities já negociadas em Nova York, como açúcar, café e algodão.

De acordo com o diretor, participantes comerciais estão se preparando para compensar mais negócios por meio de bolsas reguladas, em lugar dos mercados de balcão. O lançamento dos contratos, previsto para maio, depende de aprovação da Comissão de Comércio de Futuros de Commodities (CFTC, na sigla em inglês).

Traders avaliaram, nesta quinta-feira, que a ICE terá problemas para atrair a liquidez da Bolsa de Chicago (CBOT), operada pelo CME Group, que domina o mercado de grãos. Jackson reconheceu essa dificuldade, mas declarou que há clientes comprometidos em negociar os novos contratos da ICE.

A companhia diz que sua tecnologia é mais vantajosa do que a do CME. Jackson afirmou que 60% dos negócios com opções para contratos de soft commodities são realizados eletronicamente. Há nove meses, o volume de negociações desse tipo era nulo. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *