Simpósio abre programação da 17ª Expocafé

Imprimir

O 5º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira, abriu a 17ª edição da Expocafé – realizada na Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) em Três Pontas, que vai até o dia 6 de junho. Considerada a maior do agronegócio café no Brasil a feira será aberta ao público nesta quarta-feira (4) e vai até o dia 6 de junho.

Simpósio abre programação da Expocafé 2014(Foto: Bruno Lavorato / Divulgação Expocafé)

O evento reuniu participantes entre pesquisadores, professores universitários, técnicos e cafeicultores para discussão de assuntos como tendências da colheita mecanizada e inovações tecnológicas em mecanização da lavoura. Foram abordados os efeitos da seca sobre a produtividade e colheita do café, nutrição do solo, gestão dos custos da mecanização da lavoura cafeeira.

Segundo o professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA) Fábio Moreira, coordenador do Simpósio, entre 50% e 60% das lavouras cafeeiras do Sul de Minas são mecanizadas. "O Simpósio é um espaço para discussão de maior eficiência na colheita, redução de custos e gestão do processo", explica. O pesquisador da EPAMIG, Gladyston Carvalho, que é também coordenador do Simpósio, apresentou tecnologias para o manejo sustentável da lavoura cafeeira, como o uso racional de defensivos, aumento da dose de fósforo para obter maior produtividade, cultivares de café resistentes à ferrugem e a nematoide. "São resultados de 40 anos de estudos da EPAMIG para buscar qualidade do café colhido no maior estado produtor, Minas Gerais", afirma.

Para o secretário-executivo da Câmara Setorial do Café do Paraná, Paulo Franzini, que participa pela primeira vez da Expocafé, o evento foi uma oportunidade para conhecer as inovações para o setor. "Viemos um grupo de nove técnicos do Paraná. Durante as dinâmicas de máquinas queremos ver na prática as tecnologias, principalmente, para a cafeicultura familiar", completa. De acordo com o engenheiro agrônomo do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – escritório do Paraná, Francisco Barbosa a maior parte da produção cafeeira daquele estado é familiar. "O pequeno cafeicultor paranaense precisa viabilizar o uso coletivo de máquinas para ser mais competitivo", afirma.

Técnicos do Paraná buscam tecnologia para mecanização da cafeicultura familiar (Crédito: Erasmo Pereira / Ascom EPAMIG)

Para o cafeicultor Luciano Duarte, que participa pela quinta vez do Simpósio, o evento é um momento para discussão de desafios na mecanização. "Nas minhas lavouras em Alfenas e Serrania o principal gargalo hoje é o aperfeiçoamento de máquinas para varrição, manejo". Luciano comprou sua primeira colhedora no ano 2000 e hoje 80% da sua produção é mecanizada. "Os processos de poda, colheita, varrição e desbrota de ponteiro são mecanizados. A mesma máquina que faz a poda do pé de café também poda o ponteiro do café da planta e eu a adquiri durante a Expocafé", conta.

Dinâmica de máquinas

A partir desta quarta-feira, a EPAMIG promoverá dinâmica de máquinas no campo. Serão 15 estações de campo para demonstração de máquinas como, derriçadeiras, colhedoras de café, sopradores, esqueletadeiras, entre outros. Também serão apresentadas tecnologias desenvolvidas por pesquisadores da Empresa para controle da broca-do-café e variedade de café recomendada para a agricultura familiar em regiões montanhosas.

Serviço

Expocafé 2014
Feira – exposição
Data: 4 a 6 de junho de 2014
Horário: 8h às 18h
Local: Fazenda Experimental da EPAMIG – Rodovia MG 167 – Três Pontas (MG)
Entrada gratuita
Informações: (35) 3821-6244 / 3821-2231

Dinâmica de Máquinas
Datas e Horários: 04/06 – 13h às 17h
05/06 – 9h às 17h
06/06 – 9h às 13h
Local: Lavoura cafeeira da Fazenda Experimental da EPAMIG em Três Pontas (MG)
Inscrições gratuitas e na Expocafé (Pracinha da Fazenda)

Fonte: Assessoria de Comunicação da Epamig

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *