Seca prejudica produção de café no Cerrado Mineiro

Imprimir

Uma das principais regiões produtoras de café do Cerrado Mineiro, Araguari não vê chuva há mais de 30 dias e as temperaturas estão dois graus acima da média. Se a seca persistir por mais tempo, a produção da próxima safra deve ser prejudicada.

A situação está levando os cafezais a perderem folhas, e os chumbinhos – pequenos grãos que surgem após a florada, que depois vão se transformar nos frutos – não conseguem se desenvolver como deveriam. Quem esperava por uma safra volumosa, já começa a refazer as contas.

– Inicialmente, eu já esperava uma produção de até 50 sacas por hectare. Essa safra eu já estimo uma perda pelo menos de 15%. Isso já é bastante significativo, principalmente porque todos os produtos que a gente compra, como adubos, defensivos, eles são cotados em dólar e com essa alta, o meu custo vai ser maior – diz o produtor Sérgio Segatin Bronzi.

Na fazenda do cafeicultor João Alberto Alves, o tempo seco está favorecendo o desenvolvimento de pragas como o bicho mineiro. O inseto ataca as plantas e rouba os nutrientes da folha.

– Isso gera um prejuízo enorme na lavoura, porque ele [bicho mineiro] começa a "desfolhar" essa folha. Agredida, ela vai cair e ela desfolhando, o chumbinho fica exposto. A condição natural da planta começa a ser prejudicada, porque não tem a folha e, com isso, com certeza a produção será prejudicada – afirma.

Para tentar diminuir os impactos da seca, os produtores utilizam a irrigação. Mas nos próximos dias isso pode mudar, porque a escassez de água dos últimos dias diminuiu o nível dos reservatórios e vai obrigar o produtor a reduzir pela metade o uso da irrigação nos cafezais.

A fazenda de Alves é dividida em sete lotes e cada um deles é irrigado 12 horas por dia, com um intervalo de quatro dias entre uma área e outra. Agora, o planejamento deve ser modificado.

– A partir de amanhã nós vamos aumentar esse intervalo para oito dias. Nós sabemos que vamos ter consequências, mas nós não temos outra opção. Se nós não fizermos dessa forma, nós vamos prejudicar os usuários mais baixos e nós não queremos isso. Nós queremos dividir o pouco que temos com todos que precisam – afirma.

Na safra 2015/2016, colhida este ano, a região de Araguari produziu aproximadamente 400 mil sacas de café. De acordo com o presidente da Associação dos Cafeicultores de Araguari, Cláudio Morales, a meta de dobrar a produção na próxima temporada pode não ser alcançada se a seca persistir por muito tempo.

– A nossa região, que corresponde à região de Araguari, Indianópolis, Cascalho Rico e Uberlândia, nós tivemos uma produção de 400 mil sacas em uma área de aproximadamente 20 mil hectares. No próximo ano, nós esperamos uma safra de 800 a 900 mil sacas, mas com esse calor acima da média a gente não sabe qual será o prejuízo para a próxima safra para o produtor – afirma.

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *