Seca e Calor: agrônomos debatem e apresentam percepções sobre a safra de café

Imprimir

Entre os dias 2 e 4 de abril, cerca de 220 profissionais ligados à cadeia produtiva do café se reuniram em Poços de Caldas, para o tradicional encontro de integração entre os Grupos Técnicos em Cafeicultura (GTEC’s Café) promovido pela Syngenta. Com ênfase na evolução do setor, a reunião objetivou a construção coletiva de um diagnóstico da cafeicultura, com a apresentação dos desafios, conquistas, do contexto atual da atividade e das percepções sobre a próxima safra nas principais regiões produtoras. Esse modelo é baseado na inteligência coletiva, onde um universo de pessoas pode fornecer informações mais próximas do contexto real do que a percepção individual de cada ator.

O grande destaque desta edição da reunião de integração foram os problemas climáticos ocorridos entre janeiro e março deste ano e seu impacto sobre as próximas safras de café. Quando integrados, representantes do GTEC Sul de Minas, GTEC Cerrados, GTEC Matas, GTEC Centro Oeste Paulista, GTEC Mogiana, GTEC Conilon e GTEC Cooperativas tiveram a oportunidade de traçar um quadro ilustrativo da cafeicultura brasileira. Pesquisadores, extensionistas consultores e profissionais ligados às cooperativas apresentaram informações sobre a situação das lavouras, problemas fitossanitários, expectativa de novos plantios e renovação das lavouras, percentual de podas e expectativas de investimentos, produção e comercialização para a próxima safra.

Durante a reunião, a Rede Social do Café realizou um levantamento entre os participantes e foram coletados 21 depoimentos sobre os impactos da seca e calor excessivo na produção brasileira de café – para assistir ao vídeo CLIQUE AQUI

Cada um dos sete grupos (GTEC´s) realizou reunião isolada dos demais e, posteriormente, foi apresentado o diagnóstico colaborativo regional da cafeicultura:

GTEC Sul de Minas – Clique aqui

GTEC Cerrados – Clique aqui

GTEC Matas – Clique aqui

GTEC Centro Oeste Paulista – Clique aqui

GTEC Mogiana – Clique aqui

GTEC Conilon – Clique aqui

GTEC Cooperativas – Clique aqui

Ao final das apresentações, o percentual de redução de safra com relação a última estimativa da CONAB foi de 17,6%, muito próximo dos 18% apresentado posteriormente em estudo encomendado pelo Conselho Nacional do Café – CNC e realizado pela Fundação Procafé. Embora o método proposto na reunião não tenha o rigor científico, a percepção dos especialistas sobre os impactos do clima sobre a produção de café nas suas regiões de atuação mostrou-se uma eficiente ferramenta de colaboração e de geração de conhecimento.

Sérgio Parreiras Pereira (Pesquisador Cientifico do Instituto Agronômico – IAC e Mediador da Rede Social do Café)

Fonte: Rede Social do Café

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *