Sebrae promove curso sobre Gestão de Risco no Mercado de Café

Imprimir

Manhuaçu (MG) sediou o curso de Gestão de Risco no Mercado de Café para produtores Fair Trade de todo o Brasil. A iniciativa foi realizada em parceria entre a Fair Trade e o SEBRAE-MG, com apoio da Unidade Microrregional de Manhuaçu, dentro do Projeto Foco Competitivo do Café das Matas de Minas.

O Coordenador dos Projetos de Café do SEBRAE-MG no Cerrado e Chapada de Minas, Marcos Antônio dos Reis Teixeira, participou como representante do Brasil no curso de Gestão de Risco no Mercado de Café em Houston (Estados Unidos), durante a Feira de Cafés Especiais Norte-Americana. Ele agora está disseminando os conhecimentos do encontro para os grupos de produtores Fair Trade do Brasil.

Curso sobre Gestão de Risco – Dos 24 grupos Fair Trade prospectados no Brasil, a maioria com certificado já obtido e alguns em processo de certificação, 19 grupos se inscreveram para os cursos e enviaram seus responsáveis pelo Departamento Comercial. Em Manhuaçu, o encontro reuniu quinze representantes de sete associações. No total, 19 entidades com 38 funcionários foram capacitadas.

“O objetivo do curso é desenvolver o conhecimento sobre o funcionamento dos mercados futuros e de opções, sobre as estratégias utilizando estes instrumentos e como implementar as estratégias de Gestão de Risco no mercado de Café no dia-a-dia das entidades”, explica Marco Antônio dos Reis. O conteúdo foi composto por fundamentos e princípios dos mercados físico e futuro de café, os agentes e tipos de contratos, o ponto de equilíbrio dos produtores e das associações e cooperativas, as estratégias de atuação física e financeira e as principais fontes de informações do mercado.

Com os cursos, a Fair Trade e o SEBRAE objetivam ampliar as estratégias dos produtores e cooperativas Fair Trade para atuarem no mercado de café, fomentar a constante busca por conhecimento, disseminar conhecimento àqueles que muitas vezes não tem condições de acesso a tais informações e gerar maior agragação de valor às sacas comercializadas pelos grupos.

Segundo a técnica da microrregional do SEBRAE em Manhuaçu, Ereni Emerick, o curso foi de grande valia, trouxe conceitos que os participantes apenas tinham ouvido falar, mas ainda não entendiam como funcionavam, puderam compreender melhor como o preço é formado e estratégicas básicas de atuar no mercado.

“O mercado atual de café é promissor e perspectivas de sustentação dos preços estão fundamentadas, mas, sem conhecimento de como atuar no mercado, os produtores e cooperativas podem perder boas oportunidades de comercialização e até incorrer em prejuízos”, resumiu Ereni Emerick.

Fonte: Portal Caparaó  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *