Seaf capacita técnicos multiplicadores do Pró-Café em Mato Grosso

Imprimir
Técnicos multiplicadores do Pró-Café estão sendo capacitados em Alta Floresta para levar instruções e alertas aos produtores quanto a possíveis erros na implantação e condução do cafezal e viveiro. Lançado em agosto, o Programa de Revitalização da Cafeicultura, o Pró-Café prevê pouco mais de R$ 1,1 milhão de investimentos na produção de café em Mato Grosso.

A capacitação dos técnicos está sendo realizada pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf-MT) e instituições parceiras entre os dias 08 e 11 de novembro. Os técnicos a serem capacitados são de Alta Floresta.

O investimento do Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Regularização Fundiária (Seaf), em 2016 no Pró-Café será de R$ 1.111.856,90. Serão contemplados os municípios de: Alta Floresta, Carlinda, Nova Bandeirantes, Nova Monte Verde, Aripuanã, Colniza, Cotriguaçu, Juína, Rondolândia e Tangará da Serra.

De acordo com a Seaf, já foram realizadas as capacitações de técnicos em Nova Bandeirantes e Aripuanã. “Dessa vez estamos em um dos polos do café no estado, Alta Floresta, com apoio da Empaer e Embrapa de Rondônia, que vêm com toda sua expertise para ajudar a agricultura familiar e os cafeicultores do nosso estado. Estamos motivados com o Pró-Café, que já resgatou a confiança do cafeicultor”, revela o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Suelme Fernandes.

O programa tem como meta elevar de oito para 20 sacas de café produzidas por hectare. A expectativa é que em 2018 o Estado alcance uma produção de 300 mil sacas.

Para atingir a meta a Seaf explica que diversas ações estão sendo realizadas, desde a capacitação de técnicos e acompanhamento técnico aos produtores até o fornecimento de mudas e fertilizantes com a maior capacidade produtiva (BRS Ouro Preto Embrapa), bem como a reestruturação de viveiros e implantação de unidades de aprendizagem.

O Pró Café MT é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários de Mato Grosso (Seaf-MT) e conta com o apoio técnico da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Fonte: Agro Olhar (Por Viviane Petroli com foto de Henrique Pimenta/Seaf-MT)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *