Saqueadores tentam vender carga de café de R$ 400 mil pelo WhatsApp

Imprimir
A Polícia Civil tenta identificar os suspeitos de saquear uma carga de café, transportada em um caminhão que tombou na Rodovia Paulo Borges de Oliveira, entre Miguelópolis (SP) e Guaíra (SP). Cinco dias após o furto, caixas do produto são negociadas pelo WhatsApp.

O grupo 3 Corações, que detém a marca de café Itamaraty, lamentou o ocorrido e informou que já tomou as providências cabíveis.

O tenente da Polícia Rodoviária Thales Borges Leite alegou que quando a equipe chegou ao local para atender a ocorrência, a maior parte da carga já havia sido furtada e, devido ao grande número de pessoas, foi impossível evitar o crime.

As cenas do saque repercutiram nas redes sociais e estão sendo usadas pela Polícia Civil na tentativa de identificar os suspeitos, segundo afirmou o delegado Paulo de Castro Cervantes. Entretanto, ninguém foi identificado até a tarde de segunda-feira (11).

O caminhoneiro Reginaldo dos Santos se recupera do acidente em casa, em Londrina (PR). Ele sofreu ferimentos nas pernas, nos braços e na cabeça, mas passa bem. Santos contou que, além da carga, avaliada em R$ 400 mil, pertences pessoais também foram furtados.

“Saque, vandalismo, quebra-quebra, quebraram tudo dentro do caminhão, levaram tudo o que podiam levar, minhas coisas pessoais, a carga não sobrou nada. Destruíram a carreta. O que não destruiu no acidente, a população destruiu”, lamentou.

Polícia ignorou furto
O acidente ocorreu na tarde de quinta-feira (7), quando o caminhão fazia uma curva. Santos afirmou que dirigia a 35 quilômetros por hora e, apesar da baixa velocidade, perdeu o controle da direção e o veículo tombou.

O caminhoneiro foi socorrido e levado ao Pronto-Socorro da cidade. Mesmo com a presença da Polícia Rodoviária no local, motoristas estacionaram no canteiro central da pista e, em minutos, todas as caixas de café – em pó e do tipo capuccino – foram furtadas.

Santos reclamou que em nenhum momento os policiais tentaram evitar o crime e quando a equipe da seguradora chegou ao local, toda a carga já havia sido levada. Ainda segundo o motorista, os danos ao caminhão foram avaliados em R$ 50 mil.

“Simplesmente, cruzaram os braços. É revoltante, eles poderiam ter evitado aquilo. Agora, eu estou vendendo meu carro, que é a única coisa que eu tenho. Não tenho o que fazer. Vou ter que vender porque preciso do caminhão para trabalhar”, disse.

Motoristas saquearam carga de café na tarde desta quinta-feira (7) em Miguelópolis, SP (Foto: Fábio Reis/Divulgação)
Motoristas saquearam carga de café na tarde desta quinta-feira (7) em Miguelópolis, SP (Foto: Fábio Reis/Divulgação)

Difícil evitar, diz polícia
O tenente da Polícia Rodoviária Thales Borges Leite disse que quando a equipe chegou ao local, a maior parte da carga já havia sido levada. Os policiais solicitaram reforço devido ao grande número de pessoas realizando o furto, mas, segundo Leite, foi difícil evitar o crime.

“Esses saques costumam ser muito rápidos. A partir do momento em que o policial chegou, grande parte da carga já havia sido levada. Pela quantidade de pessoas que havia, não era possível uma ação com a quantidade de policiais que nós tínhamos”, alegou.

O tenente explicou também que, em casos como esse, a Polícia Rodoviária se preocupa primeiramente em sinalizar o local para evitar acidentes posteriores. Em seguida, a equipe realiza a segurança da carga tombada.

“Os policiais agiram de maneira correta, solicitando apoio. A partir do momento em que o apoio chegou, havia segurança para fazer a abordagem. Não tem como fazer disparo para o alto porque envolve riscos. O policial não pode efetuar disparo aleatório”, disse.

Carga avaliada em R$ 400 mil foi levada por motoristas após acidente (Foto: Fábio Reis/Divulgação)
Carga avaliada em R$ 400 mil foi levada por motoristas após acidente (Foto: Fábio Reis/Divulgação)

Sem vítimas
Em nota, o grupo 3 Corações lamentou o acidente e ressaltou “que se importa com o bem-estar de seus funcionários, fornecedores e clientes; por isso, expressa o seu alívio por saber que o incidente não ocasionou vítimas”.

Fonte: G1 Ribeirão e Franca e EPTV Ribeirão Preto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *