Safra de café do Brasil é vista em 52,16 mi sacas

Imprimir

A atual safra de café do Brasil atingirá 52,16 milhões de sacas de 60 kg, segundo sondagem instantânea feita pela Thomson Reuters no evento Perspectivas para o Agribusiness em 2012 e 2013, em São Paulo.

Participaram da pesquisa 130 pessoas, incluindo lideranças do setor e especialistas.

O número médio da sondagem está um pouco acima da previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que em seu último relatório apontou uma produção recorde do Brasil de 50,45 milhões de sacas para a safra 2012/13.

O mesmo levantamento realizado pela Thomson Reuters apontou um consumo médio no Brasil de 20,23 milhões de sacas em 2012.

Durante os debates na palestra Perspectivas do Mercado de Café, que integrou o evento promovido pela BM&FBovespa, participantes do mercado contestaram estimativas otimistas, como as divulgadas pelo adido do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que apontou na semana passada um volume de 55,9 milhões de sacas para a safra atual.

"A impressão é de que o erro é sempre para cima", disse o consultor Luiz Otávio Araripe, avaliando os números do USDA para a safra brasileira de café nos últimos 14 anos.

A estimativa mais alta feita no exterior para a safra brasileira foi apontada como um dos fatores que estariam pressionando para baixo os preços do café arábica na bolsa de Nova York.

O corretor Eduardo Carvalhaes afirma que os fundamentos são para preços mais altos.

"Operadores de instituções financeiras muitas vezes não percebem os fundamentos e trabalham apenas com a perspectiva de curtíssimos prazo", disse ele.

"Não percebem os fundamentos… Estamos com estoques praticamente zerados… No próximo ano não vai faltar, mas também não vai sobrar."

Carvalhaes disse confiar nos números da Conab.

Tradicional produtor de café, Luiz Hafers, acredita na recuperação dos preços do arábica.

"O mercado está perto do fundo. A disposição dos especuladores de vender a descoberto está esgotada", disse ele. "Que o mercado sobe, não tenho dúvida. Quando sobe é que eu não sei."

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *