Saca do melhor café de Minas é vendida a R$ 8.100,00

Imprimir

Os 18 vencedores do VII Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais receberam a premiação em cerimônia nesta quinta-feira (25), realizada na Universidade Federal de Lavras (UFLA). Foram premiados os seis lotes vencedores de cada região produtora (Sul, Cerrado e Matas de Minas), nas categorias natural e cereja descascado. Todos os lotes tiveram lance mínimo de R$617,00, valor garantido pela empresa Carmo Coffees que conduziu o leilão.

O encerramento do concurso contou com a presença do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Gilman Viana e do reitor da UFLA, Antônio Nazareno Guimarães Mendes, além de diversas lideranças do setor. A cerimônia reuniu os 49 finalistas, familiares, técnicos da Emater e demais profissionais ligados ao sistema agroindustrial do café.

O campeão da categoria cereja descascado foi o café de Ralph de Castro Junqueira do município de Carmo de Minas, da região Sul de Minas. Com cuidados especiais de secagem e beneficiamento, o micro-lote deste café recebeu o lance máximo do leilão, sendo vendido para um consórcio de empresas participantes ao valor de R$ R$8.100,00 a saca do café beneficiado. O consórcio representa as empresas Carmo Coffees, Café Kahlua Ltda e Beccor. O lote deste café vencedor teve também o maior lance, no valor de R$1.500,00 cada saca.

O melhor café da categoria natural também é da região Sul de Minas, do município de Ilicínia, de propriedade de Efrain Botrel Alves. A saca deste café foi vendida pelo valor de R$ 4.000,00, para uma parceria entre as empresas Café Kahlua Ltda e Via Specialty Coffee. As demais sacas do lote foram vendidas por R$ 900,00 cada.

O 7º Concurso Estadual dos Cafés de Minas é promovido pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), por meio da EMATER-MG e apoio da UFLA. A iniciativa tem como parceiros o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sul de Minas – Campus Machado, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig); o Centro de Excelência de Café de Machado; o Polo de Excelência de Café, o Sindicafé-MG, além de cooperativas e demais instituições do setor.

Veja abaixo a lista com os cafés vencedores, os compradores e os valores pagos por cada lote de café:

Fonte: Polo de Excelência do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *