Retomada permitirá que máquinas fechem ano com queda de 10%, diz Massey Ferguson

Imprimir
A Massey Ferguson acredita que o segundo semestre deste ano será de retomada para o mercado brasileiro de máquinas agrícolas. Em coletiva na 39ª Expointer (Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários), realizada em Esteio (RS), o diretor comercial da empresa, Rodrigo Junqueira, disse observar uma “mudança de humor no setor”. A percepção se baseia principalmente em três fatores: aumento de renda do agricultor, clima favorável às lavouras e, consequentemente, maior confiança do produtor rural.

De acordo com dados repassados ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), a Massey Ferguson estima que esta retomada permitirá que o mercado de máquinas agrícolas (considerando tratores e colheitadeiras) amenize o tombo dos primeiros meses deste ano e termine 2016 com uma queda de cerca de 10%. No acumulado de janeiro a julho, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o recuo é de 26%.

Junqueira lembrou que, enquanto no início de 2016 se previa forte intensidade do fenômeno La Niña – que deveria provocar seca no Rio Grande do Sul e efeitos também em outras regiões do País -, agora a previsão é de uma manifestação fraca ou moderada, com chuvas suficientes para garantir a produção. Além disso, ele destacou que a rendado produtor agrícola cresceu no ciclo 2015/2016, motivada pelo preço favorável das commodities no momento da comercialização e pela taxa cambial.

Junqueira também citou o Índice de Confiança do Agronegócio (ICAgro), que fechou o segundo trimestre de 2016 com alta em relação ao trimestre anterior. “Este foi um dos pontos que mais nos chamou a atenção e fez com que nos preparássemos muito bem para a Expointer”, disse. Ele acrescentou que o mês de julho já deu um sinal de retomada, com as vendas do setor ficando acima do mesmo período de 2015.

“Não considero que hoje tenha algo freando o nosso cliente”, avaliou. Para Junqueira, além dos fatores já mencionados, contribui positivamente o fato de haver uma “definição clara” das linhas de financiamento para a próxima safra.

A Massey Ferguson avalia que a edição deste ano da Expointer marcará a “retomada”, e projeta um resultado melhor na comparação com a edição anterior. “Estamos aqui desde sábado, e o volume de clientes nesses dias já nos surpreendeu.” A feira ocorre até o dia 4 de setembro.

Na coletiva, Junqueira chamou a atenção para a importância do Rio Grande do Sul para o setor. De acordo com o diretor, o Estado responde por aproximadamente 15% das vendas de tratores no Brasil, e a Massey detém 27% de fatia neste mercado. Já no que se refere às colheitadeiras, o RS é responsável por 22% das vendas no País, com 18% de market share da empresa.

Fonte: Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *