Renda agrícola brasileira deve crescer mais de 20% em 2013

Imprimir

A renda agrícola brasileira deve crescer 23,8% no próximo ano. O valor bruto da produção das principais culturas agrícolas deve atingir em 2012 o recorde de R$ 235,7 bilhões. A perspectiva para o ano que vem é que esse valor chegue a R$ 291,7 bilhões, de acordo com projeções divulgadas nesta segunda-feira pela assessoria de gestão estratégica do Ministério da Agricultura.

Um dos destaques do estudo, elaborado com base nas estimativas de safra de novembro, é o expressivo aumento de 52% previsto para o valor da produção da soja no próximo ano, estimado em R$ 104,3 bilhões. A forte expansão reflete o aumento dos preços recebidos pelos agricultores, pois as estimativas indicam aumento de 24,5% na produção de soja. A projeção para a renda da soja em 2012 é de aumento de 19,1% em relação ao ano passado, para R$ 68,7 bilhões. Pelas projeções, a participação da soja no total do valor da produção passará de 29% neste ano para 36% em 2013.

Para a cana-de-açúcar, que ocupa o segundo lugar em termos de valor da produção, a previsão para o próximo ano é de aumento de 10,6% na renda, estimada em R$ 45,2 bilhões. Em 2012, o valor da produção da cana recuou 2,5% em relação ao ano passado, para R$ 40,9 bilhões. Em terceiro lugar se destaca o milho, com projeção de aumento de 13,3% na renda no próximo ano (para R$ 41,6 bilhões). Em 2012, o valor da produção de milho cresceu 29,8% e ficou em R$ 38,8 bilhões.

A assessoria de gestão estratégica do Ministério da Agricultura prevê aumento de 95,5% na renda da citricultura no próximo ano, para R$ 17,8 bilhões. Neste ano o valor da produção da laranja recuou 35,6% para R$ 9,1 bilhões. As projeções indicam que a renda da cafeicultura deve se manter em queda. Neste ano o valor da produção de café caiu 8,1% (para R$ 18,9 bilhões) e para o próximo ano a previsão é de retração de 19,9% (para 15,1 bilhões).

Renda regional

Os dados relativos ao valor bruto da produção regional neste ano mostram que o maior incremento (+33,5%) ocorreu na região Centro-Oeste, que pela primeira vez lidera o ranking nacional, com uma renda de R$ 70,5 bilhões.

A queda na rentabilidade das lavouras permanentes, como laranja, café e cana-de-açúcar, provocou uma retração de 7,29% no valor da produção da região Sudeste, para R$ 65 bilhões.

A região Sul, que teve fortes perdas por causa da estiagem do início do ano, apresenta diminuição de 2,7% na renda, para R$ 55 bilhões. Na região Nordeste o valor bruto da produção agrícola cresceu 13,7% para R$ 25,8 bilhões e no Norte o aumento foi de 9,4% para R$ 7,4 bilhões.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *