Regiões da Chapada Diamantina e Matas de Rondônia conquistam maiores notas do Concurso da ABIC

Imprimir
Campeão de três dos últimos cinco Concursos Nacionais da ABIC, Piatã-BA, na Chapada Diamantina, conquista mais uma vez a maior nota do certame. O produtor Antônio Rigno de Oliveira, vencedor também do 11º concurso, teve o café com a maior nota da categoria arábica, com 8,92. Já na categoria conilon/robusta, grande novidade desta edição, Alex Marques de Lima, de Alto Alegre-RO, atingiu 7,48 pontos e levou o primeiro lugar.

Os demais campeões por região foram:

Minas Gerais

  • Campo das Vertentes – Marco Cesar Santomauro – Fazenda Mundo Novo
  • Cerrado Mineiro – Alexandre Cardoso de Oliveira – Fazenda Amorim
  • Chapada de Minas – Sergio Meirelles Filho – Fazenda Alvorada
  • Mata de Minas – Altilina Evaristo Barbosa Lacerda – Sítio Forquilha do Rio
  • Mantiqueira de Minas – Cléverson de Cássio Fagundes – Sítio Pinhalzinho do Fagundes
  • Sul de Minas – Fazenda Sertãozinho

São Paulo

  • Média Mogiana – Mariana Martins de Souza – Sitio São José
  • Região de Pinhal – Arnaldo Franco Moraes e Outros – Fazenda Santana

Espírito Santo

  • Conilon Capixaba – Luiz Claudio de Souza – Sitio Grãos de Ouro
  • Montanhas do Espirito Santo – Sivanius Kutz – Fazenda Kutz

Bahia

  • Planalto Baiano / Planalto de Vitória da Conquista – Ana Marilu Ribeiro Fontes Sousa – Agricola Alto da Serra LTDA

Paraná

  • Norte Pioneiro do Paraná – Ossi Cruz de Oliveira Lima – Sítio Fortaleza;

Rio de Janeiro

  • Vale do Paraíba – Paulo Roberto dos Santos – Fazenda Florença

Os cafés foram avaliados nos últimos dias 4 e 5 de fevereiro, por um júri composto por especialistas em classificação e análise sensorial. As amostras foram submetidas à metodologia do PQC – Programa de Qualidade do Café ABIC.

Formato Inovador

Com um novo modelo, mais amplo, permitindo a participação de produtores de diversas localidades do Brasil, o 16º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café – Origens do Brasil – safra 2019 teve um número recorde de participantes com 15 regiões produtoras brasileiras, totalizando 44 amostras.

Para a ABIC, é sempre um grande momento do café a realização desse concurso e neste ano, um novo modelo para expandir e permitir que novas localidades do País sejam reconhecidas e divulgadas.

“A ABIC defende o café de qualidade e certificado e por isso desenvolve metodologias como o PQC, bem como selos como o de Pureza, Sustentabilidade, dentre outros. Poder oferecer cafés puros, sem fraudes e que ainda valorizem o mercado brasileiro, junto ao Café do Brasil, é uma grande honra para nós da ABIC e motivo do qual todos os brasileiros devem se orgulhar”, explica Ricardo Silveira, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Café.

Leilão

No dia 07 de fevereiro, a partir das 10h, terá início o leilão de todos os lotes campeões por região. O lance mínimo será o equivalente a 70% acima da cotação BMF/Bovespa do dia 06/02/2020 e as ofertas podem ser efetuadas até às 17h do dia 12 de fevereiro. Podem participar torrefadoras, cafeterias e demais pessoas jurídicas interessadas.

Para participar, os interessados precisam preencher a Ficha de Lance Comprador presente na página do leilão – www.abic.com.br/concursonacional/leilao -, selecionar o(s) café(s) desejado(s) e fazer(em) sua(s) oferta(s). O pregão poderá ser acompanhado através do “Termômetro do Leilão”, cujas atualizações se darão da seguinte forma:

• Dia 07/02 – do lançamento até às 18h;

• Dias 08 e 09/02 – às 12h;

• Dias 10 e 11/02 – das 9h  às 18h;

• Dia 12/02 – das 9h  às 17h. Às 17h, a ficha sairá do ar.

Os lances podem ser dados para aquisição de uma única saca ou do microlote, de 60 kg.

No dia 13 de fevereiro serão divulgadas as empresas campeãs do leilão, que são aquelas que deram os maiores lances. No dia 15 de abril, os cafés serão apresentados em cerimônia de premiação que irá ocorrer em Brasília-DF.

Veja o resultado final do Concurso:

Arábica

Classif. Nome Região Produtora Propriedade Cidade UF Nota QG  Nota Final  (QG + sustentabilidade)
Antonio Rigno de Oliveira Planalto Baiano / Chapada Diamantina Chacara São Judas Tadeu Piatã BA 8,80 8,92
Ossi Cruz de Oliveira Lima Norte Pioneiro do Paraná Sítio Fortaleza Japira PR 8,68 8,81
Mariana Martins de Souza Média Mogiana Sitio São José Divinolândia SP 8,66 8,79
Sivanius Kutz Montanhas do Espirito Santo Fazenda Kutz Itarana ES 8,64 8,78
Altilina Evaristo Barbosa Lacerda Mata de Minas Forquilha do Rio Espera Feliz MG 8,62 8,76
Fazenda Sertãozinho Ltda Sul de Minas Fazenda Sertãozinho Botelhos MG 8,60 8,74
Alexandre Cardoso de Oliveira Cerrado Mineiro Fazenda Amorim Monte Carmelo MG 8,52 8,67
Arnaldo Franco Moraes e Outros Região de Pinhal Fazenda Santana Santo Antonio do Jardim SP 8,52 8,67
Marco Cesar Santomauro Campo das Vertentes Fazenda Mundo Novo Bom Sucesso MG 8,34 8,51
10º Sergio Meirelles Filho Chapada de Minas Fazenda Alvorada Aricanduva MG 8,34 8,51
11º Cléverson de Cássio Fagundes Mantiqueira de Minas Sítio Pinhalzinho do Fagundes Natércia MG 7,94 8,15
12º Ana Marilu Ribeiro Fontes Sousa Planalto de Vitória da Conquista / Planalto Baiano Agricola Alto da Serra LTDA Encruzilhada BA 7,54 7,79
13º Paulo Roberto dos Santos Vale do Paraíba Fazenda Florença Valença RJ 7,50 7,75

Conilon/Robusta

Classif. Nome Região Produtora Propriedade Cidade UF Nota QG  Nota Final  (QG + sustentabilidade)
Alex Marques de Lima Matas de Rondônia Chácara Esperança Alto Alegre RO 7,48 7,73
Luiz Claudio de Souza Conilon Capixaba Sitio Grãos de Ouro Muqui ES 7,44 7,70

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *