Região do Cerrado Mineiro recebe produtores de outras regiões de MG

Imprimir

O café da Região do Cerrado Mineiro há bastante tempo atrai a atenção de diversas partes do mundo pela sua organização e pela alta qualidade do produto, contudo, essa atenção passou a atrair também os olhares de regiões próximas, que enxergam no modelo organizacional implantado um exemplo de profissionalismo e sucesso no mercado, seja de café ou de outras culturas. Dentro desta perspectiva, a Região do Cerrado Mineiro recebeu na última semana a visita de cafeicultores das Matas de Minas e de fruticultores do Vale do Jaíba, norte do Estado, cujo intuito foi não só conhecer a região e os cafeicultores, mas também explorarem o processo de reposicionamento da marca no mercado, bem como coletarem informações sobre o controle desta marca e sobre os modelos de governança da Federação dos Cafeicultores do Cerrado e das demais entidades que compõem a estrutura da Região.

Visita cafeicultores das Matas de Minas – Na terça-feira, 09, a Federação dos Cafeicultores recebeu e coordenou a visita de uma comitiva composta por 14 pessoas, entre elas cafeicultores e representantes do SEBRAE. O roteiro foi dividido em dois momentos. A primeira parte contemplou a visita à Federação dos Cafeicultores do Cerrado, onde o diretor de marketing, Juliano Tarabal e Coordenador de origem e qualidade, Petrônio Primo, apresentaram a criação e a concepção do novo conceito da Região, seu posicionamento no mercado, bem como os trabalhos que estão sendo executados para consolidação deste projeto. Em seguida, o cafeicultor Marcelo Montanari relatou sua experiência com a cafeicultura local e os trabalhos desenvolvidos na área de sustentabilidade. Continuamente, os visitantes conheceram o presidente da ACARPA – Marcelo Queiroz, e os Diretores Enéas Aguiar e Osmar Júnior, sendo possível conhecer um pouco mais da história do café da Região do Cerrado Mineiro e as ações para promoção da marca.

No segundo momento, os visitantes estiveram presentes na Expocaccer. Na ocasião, foi feita uma apresentação dos serviços prestados e da evolução da cooperativa desde sua fundação. Foi realizada também uma abordagem sobre o Projeto Educampo na cooperativa, ressaltando os bons resultados que os cooperados obtiveram com a aplicação da metodologia na fazenda. O cafeicultor Valter Batista Reges falou sobre sua atuação no Projeto, enfatizando que o Educampo é um projeto feito para durar e que sua metodologia auxilia e direciona administração de sua fazenda.

Os visitantes viram nesta visita a oportunidade de discutir assuntos pertinentes à sua realidade e coletar informações para melhoria de seus processos, como afirma Waldir Francese Filho, superintendente comercial da COOCAFÉ, cooperativa de cafeicultores da cidade de Lajinha. “Café é o nosso negócio, porém, devido à nossa geografia, há pontos bem diferentes da cafeicultura da Região do Cerrado Mineiro, contudo, a visita foi muito proveitosa, engrandeceu e contribuiu para o crescimento da cultura do café na região das Matas de Minas”, avalia Francese.

Visita fruticultores do Vale do Jaíba – Na última quinta-feira, 11, produtores de frutas da região de Jaíba, norte de Minas Gerais, e representantes do SEBRAE, estiveram na Região do Cerrado Mineiro para realizarem uma visita técnica. O roteiro contemplou, no período da manhã, uma apresentação na Federação dos Cafeicultores do Cerrado sobre os trabalhos desenvolvidos para controle e divulgação da marca feita pela controller de gestão, Tânia Castro e com o acompanhamento de toda visita pela colaboradora Denise Castro; na oportunidade Marcelo Montanari apresentou também seu trabalho enquanto cafeicultor da Região e os ganhos com o projeto Educampo.

No período da tarde, a comitiva esteve presente na Expocaccer, e participaram de uma apresentação sobre o histórico e evolução da cooperativa, bem como conheceram a estrutura física e os serviços prestados. O roteiro foi concluído com a visita na fazenda São Paulo, onde o cafeicultor Marcelo Montanari explicou aos fruticultores a cultura do café e todos os itens necessários para produção de um café sustentável e de alta qualidade.

“Visitas como a da Região do Jaíba e Matas de Minas mostram a relevância da organização do sistema da Região do Cerrado Mineiro, no que tange seu estatuto, Conselho, união de entidades em prol de uma Região e seus cafeicultores, e a forma inovadora como estamos desenvolvendo nossos trabalhos. Apreendemos com nossos diretores que conhecimento deve ser compartilhado por isso a Federação atende a todas as áreas do agronegócio brasileiro, juntamente, na maior parte das vezes com nosso grande parceiro SEBRAE. A troca de informações e experiências é sempre enriquecedora e buscamos extrair dessas visitas melhorias para fortalecer ainda mais a cafeicultura da Região do Cerrado Mineiro”, avalia Denise Castro.

Fonte: Comunicação – Região do Cerrado Mineiro via CNC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *