Região do Cerrado Mineiro lança Plano para Desenvolvimento

Imprimir

A Federação dos Cafeicultores do Cerrado, entidade que representa, promove e controla a Denominação de Origem Região do Cerrado Mineiro desenvolveu um completo “Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Promoção da Região do Cerrado Mineiro” que servirá como base para as ações desenvolvidas pela entidade e pelas Cooperativas e Associações filiadas a Federação. Este Plano foi desenvolvido em parceira com o SEBRAE, forte parceiro das ações da Região.

Em 2015 a cafeicultura da Região completa 45 anos e durante essas mais de 4 décadas foi reconhecida como uma das últimas fronteiras agrícolas do Brasil, para produção de café. Graças ao esforço dos produtores, a organização das entidades hoje é reconhecida também como Origem produtora de cafés diferenciados pela Alta Qualidade, Ética e Rastreabilidade, o Café de Atitude.

A grande meta do Plano de Desenvolvimento é tornar a Região do Cerrado Mineiro uma referência em atitude para o novo mundo do café em termos de Produtores, Região e Produto. Para isso, o desafio é até 2020 chegar a 500 mil sacas de café lacradas, por ano, com o Selo de Origem e Qualidade Região do Cerrado Mineiro. Em 2014 mais 133 mil sacas foram lacradas.

O Selo de Origem e Qualidade é destinado aos cafés que atingirem o mínimo de 80 pontos pela metodologia SCAA (Associação Americana de Cafés Especiais – Sigla em inglês) isso parte da preocupação da Região em levar com sua Denominação de Origem e marca apenas os melhores cafés produzidos na Região. Por isso, ao encontrar um café com o Selo de Origem e Qualidade Região do Cerrado Mineiro o consumidor tem a garantia de que o produto é exclusivo, com características únicas.

O Superintendente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Juliano Tarabal, explica que todo o Sistema está disposto a encarar o desafio que o Plano lançou. “Estamos preparados para atingirmos os objetivos propostos. A equipe da Federação dos Cafeicultores do Cerrado trabalha em completo alinhamento com a Diretoria Executiva e Conselho de Administração, e isso nos coloca focados a atuarmos com orientação aos resultados. Este novo Plano é extremamente motivador e temos metas arrojadas a serem superadas, e o que nos leva a acreditar que é possível é sabermos que contamos com 8 Cooperativas, 8 Associações e todos os seus cooperados e associados em busca de tornar a Região do Cerrado Mineiro em uma referência de Atitude para o Novo Mundo do Café” – finalizou Tarabal.

As ações começam focadas em ações de pertencimento, programas de qualidade e estreitamento dos canais de comunicação entre a Federação dos Cafeicultores do Cerrado e os produtores. Em médio prazo ações destinadas ao mercado interno e externo; até que as ações cheguem a última ponta da cadeia, os consumidores.

O presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Francisco Sérgio de Assis, está otimista com o novo plano. “Avançamos muito, graças ao trabalho incessante dos produtores e das entidades que buscaram a diferenciação do nosso território e do nosso café; e somos gratos a todos, mas a evolução não tem fim. Por isso, precisamos de parceiros que nos ajudem a avançar ainda mais e para isso é que este plano foi criado. Nossas entidades representativas, Federação dos Cafeicultores do Cerrado e Fundação de Desenvolvimento do Cerrado Mineiro se profissionalizaram e agora temos grandes e novos desafios pela frente, nosso horizonte de trabalho é 2015 a 2020” – finalizou Assis.

Marcos Alves, Analista de Projetos do SEBRAE-MG na Região do Cerrado Mineiro, explica a expectativa da entidade no Plano. “A nossa expectativa é ter a Região do Cerrado Mineiro como indutora de Desenvolvimento não só para cafeicultores, mas para toda a cadeia de negócios da Região. Do ponto de vista de Gestão de seus negócios, da tecnologia aplicada, é perceptível o avanço dos empresários rurais. Nosso desafio agora é capturar valor para demais segmentos. É importante que o comércio varejista entenda e se engaje nesta proposta, juntamente com o interessante cenário das indústrias do Café, que já estão atentas para o novo Consumidor e o novo Mundo do Café. O SEBRAE configura-se como apoiador e parceiro do posicionamento da Região do Cerrado Mineiro na busca de se tornar a referência nesta construção coletiva” – afirmou Alves.

Lançamento Oficial
A Federação dos Cafeicultores do Cerrado fez o lançamento oficial do Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Promoção da Região do Cerrado Mineiro 2015/2020, no último dia 14 de maio, quando reuniu os diretores do Sistema para apresentação e entrega oficial. Na oportunidade 30 mudas nativas do Cerrado Mineiro foram plantas no Centro de Excelência do Café, marcando cada uma das 30 ações que serão desenvolvidas nesses 5 anos.

Os diretores assinaram ainda o termo de comprometimento das metas e ações elencadas neste plano. Segundo o Presidente da Amoca, Associação dos Cafeicultores de Monte Carmelo, o plano veio ao encontro das exigências dos novos consumidores. “Nossa Região está pensando no futuro e a Amoca está muito motivada e feliz com o plano apresentado. Será um trabalho coletivo pensando, onde todos trabalhando juntos vamos chegar em 2020 com todas as metas alcançadas. Acreditamos que o consumidor está cada dia mais exigente e esclarecido em busca da Denominação de Origem, já que dá a ele a segurança da qualidade, rastreabilidade, boas práticas, além da segurança alimentar” – explicou Dorna.

Para o Presidente da Carpec – Cooperativa Agropecuária de Carmo do Paranaíba, Daniel André da Silva, planejamento ficou excelente e agora é um trabalho coletivo. “No específico da lacração, acreditamos temos que envolver mais parceiros, é um grande desafio das cooperativas. A CARPEC sabe das dificuldades, mas vai fazer o possível para conseguir atingir suas metas. Parabéns a todos foi uma ótima convenção estamos no caminho certo.” – explicou o presidente.

A avaliação da execução da estratégia do Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Promoção da Região do Cerrado Mineiro será feita por uma equipe de alunos e professores da Universidade Federal de Viçosa, campus Rio Paranaíba, sob a coordenação da Professora Doutora, Raquel Santos Soares Menezes.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Região do Cerrado Mineiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *