Região da Cocatrel, no Sul de Minas, já tem quebra de pelo menos 10% com clima seco

Imprimir

A safra 2014 de café da região produtora de atuação da Cocatrel (Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas), no sul de Minas Gerais, já tem uma quebra de pelo menos 10% em relação à expectativa, o que também reflete o quadro de toda a região do sul-mineiro. A avaliação é do gerente do Departamento Técnico da Cocatrel, Roberto Felicori.

Em janeiro, Felicori relata que na região da Cocatrel choveu apenas entre 28 e 98 milímetros, sendo apenas 30mm em Três Pontas. “E essas chuvas além de serem só pancadas ainda foram irregulares”, disse, em entrevista à Agência SAFRAS. Em fevereiro ainda não houve nenhuma precipitação. O momento agora é crucial para a safra 2014 e a cada dia sem chuva as perdas vão se agravar no sul de Minas Gerais. “A fase é de expansão do fruto, em que se precisa de muita água, que vai determinar a peneira do café”, caracteriza.

O que ameniza o quadro até agora é que choveu bastante no inverno, 27 dias, afirmou Felicori. Havia reserva de água, assim, até a semana passada o quadro ainda parecia bom nos cafezais. Mas, essa semana o cenário mudou e as perdas já são evidentes. “Às 06 da manhã a temperatura é de 18 graus, e às 06 da tarde de 34 graus. Isso é péssimo pro café”, comenta, referindo-se à elevada amplitude entre mínima e máxima no dia.

Com o clima seco e quente, Felicori diz que os grãos vão ficar mais miúdos e assim a quebra de safra é inevitável. Normalmente, são necessários 400 a 500 litros para uma saca, e esse ano serão necessários de 550 a 600 litros, indica. Antes, esperava-se uma safra na região da Cocatrel próxima a de 2013. Em Três Pontas, imaginava-se uma produção em torno de 500.000 sacas, mas agora esse número já deve ficar mais para 450.000 sacas.

Fonte: Safras & Mercado via Revista Cafeicultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *