Reestruturação dá resultados e Cooparaiso anuncia novas medidas

Imprimir

1ª etapa do plano de reestruturação tornou a Cooparaiso mais competitiva e eficiente para produtor. Cooperativa registra lucro e reduz despesas, mas mantém o foco em resultados com nova etapa do processo que busca redução de custos e estrutura mais ágil e enxuta.

A Cooparaiso já registraeste ano resultados positivos depois de enfrentar um balanço de 2013 com perdas em função de operações com o café. A volta por cima da cooperativa é fruto de um corajoso processo de reestruturação apresentado pela diretoria e aprovado pelos produtores em Assembleia, visando melhor prestação de serviços aos cooperados, com um processo amplo de redução de custos e adoção de um novo modelo de governança.

Na prática, com o aval do cooperado, a Cooparaiso demonstrou tato na reversão de uma séria situação e, mesmo enfrentando conhecidos problemas de endividamento do setor cafeeiro e uma caótica adversidade climática cuja seca provocou quebra de safra, os resultados são bastante promissores. A Cooparaiso já apresenta lucro de R$ 1,6 milhão, no acumulado entre janeiro a outubro, e o custeio está em R$ 32,7 milhões (em 2013 foi de R$ 41,5 milhões), próximo do cumprir o planejado em relação a redução do custeio, o que deve se confirmar até o final do deste ano. Até outubro a redução de custos estava em 21%.

Outro dado bastante importante a ser enfatizado diz respeito às entradas de café, registrando até 31 de outubro o ingresso de 687.249 sacas de cooperados e terceiros. Se considerarmos a quebra de safra, o produtor acreditou na Cooparaiso.

RECEITA CASEIRA

“O plano de reestruturação, conforme orientações dos Conselhos de Administração e Fiscal da Cooparaíso, foi desenvolvido por um Grupo de Trabalho composto por funcionários da própria cooperativa, com o suporte das consultorias MB Associados e INEPAD, resultando em um novo modelo de Gestão Empresarial estratégica orientado para a produtividade, qualidade, competitividade e lucratividade, sempre com foco no associado”, explica o vice-presidente José Rogério Lara.

A linha central foi uma mudança de modelo com a criação de uma estrutura eficiente e competitiva que pudesse atender os anseios do cooperado com foco na oferta de melhor prestação de serviços. A metafoi uma redução no custo operacional da cooperativa em relação ao exercício de 2013,que equivale a uma diminuiçãosignificativa de até 31,5% nas despesaspara o ano de 2014, o que equivale a uma redução aproximada de até R$ 16,2 milhões.

“O conceito do plano a curto prazo envolve uma racionalização na estrutura, que resultounuma adequação do quadro funcional, bem como num conjunto de ações adequando a estrutura existente neste novo modelo, o que foi bem recebido pelos produtores, uma vez que o momento dosetor de café exige austeridade”, destaca o diretor Rogério Couto Rosa Araújo, coordenador do Grupo de Trabalho responsável pela reestruturação.

É importante destacar que no novo conceito as diversas áreas foram fundidas, para dar maior agilidade, eficiência e competitividade à cooperativa, ou seja, aos poucos a organização perde a identidade de vários departamentos e ganha uma estrutura mais leve, com maior velocidade na tomada de decisões e com custos operacionais muito mais baixos, sem comprometer em nada o atendimento ao produtor, ao contrário, a mudança foi dimensionada para atender o produtor.

“Tivemos o apoio do cooperado e tomamos a decisão de fazer ou fazer, foi a alternativa correta para garantir o futuro da cooperativa e a prestação de serviços aos produtores, e graças aos efeitos do plano hoje já podemos respirar um pouco mais aliviados, mas vamos continuar trabalhando desta forma, totalmente com os pés no chão”, pontua o presidente da cooperativa, Carlos Melles.

Neste sentido, com a melhoria dos indicadores obtidos na primeira fase do plano de reestruturação, a diretoria da cooperativa tomou a decisão de prosseguir com o modelo de gestão, anunciando uma série de novas medidas (veja box anexo).

CAPITALIZAÇÃO

Na Assembleia Extraordinária, realizada em 28 de fevereiro de 2014, os cooperados autorizaram, além do plano de reestruturação, a Cooparaiso a contratar financiamento de cotas partes e de recebíveis, além de outras linhas para sua capitalização, um ponto fundamental no processo de recuperação para tornar a organização sustentável economicamente. Neste aspecto, a cooperativa vem realizando uma ação consistente de trabalho junto ao sistema financeiro, que deverá se traduzirno aumento planejado e esperado em seu capital social.

NOVAS MEDIDAS

Conheça a 2ª Fase do Projeto de Reestruturação

• Desenvolvimento e implementação de metas e rendimentos variáveis para os colaboradores (Redefinir as metas globais e um modelo de remuneração variável e avaliação por desempenho)

• Pesquisa com associados (Realizar pesquisa qualitativa e aplicar questionário identificando as demandas legítimas dos produtores)

• Relacionamento Comercial – Cooperativa e Cooperados

• Despesas Operacionais – Quantitativa e qualitativa – (Realizar estudos com foco em redução de custos)

• Procedimentos de Cobranças – Continuidade no trabalho de revisão do Departamento Financeiro com foco na redução da inadimplência

• Modelo negocial (Verticalização)

• Prestação de serviços ao Cooperado (Contábil, Fiscal, Gerenciamento)

Fonte: Coffee Break (Paulo H. Delfante) via Rede Social do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *