Rede Social do Café será apresentada em reunião técnica na Unifemm

Imprimir

 

A UNIFEMM, Centro Universitário de Sete Lagoas, promoverá no mês de novembro, reunião técnica com o tema “Emprego da Educação a Distância na Disseminação de Conhecimentos e Transferências de Tecnologias no Meio Rural”. O evento tem o propósito de analisar o potencial da educação à distância para profissionais interessados ou envolvidos na agricultura irrigada. A iniciativa tem o apoio de duas Secretarias de Estado de Minas Gerais: Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA) e Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SECTES).

Apresentações e debates estarão na pauta da reunião que vai abranger temas relacionados como água, agricultura, educação, transferência de tecnologia e redes sociais.

O setor agrícola é o maior consumidor de água. A nível mundial, a agricultura consome cerca de 69% de toda a água derivada das fontes e os outros 31% são consumidos pelas indústrias e uso doméstico. No Brasil, quase metade da água consumida destina-se a agricultura irrigada e a expansão dessa prática se tornará uma questão preocupante, devido às restrições de disponibilidade de água.

Rede Social do Café – Um dos casos de sucesso a ser apresentado no evento será “Rede Social do Café – Construção Coletiva do Conhecimento”. Sob a mediação de Sérgio Parreiras Pereira, pesquisador do Instituto Agronômico – IAC (Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo), a Rede Social do Café possui pouco mais de 4500 membros e cerca de 8,3 milhões de acessos. Consolidada no cenário tecnológico das redes sociais, a Rede possui um grande diferencial de ser a única que reúne num só lugar, todas as informações necessárias para quem atua no sistema agroindustrial café. Desse modo, a Rede é um canal educativo de difusão de tecnologias e construção conjunta entre produtores, pesquisadores, extensionistas e pessoas ligadas ao café.

“A Rede Social do Café teve inicio em 2006 e se firmou como um canal de comunicação do setor cafeeiro. O diferencial da nossa Rede é que seus integrantes não são meros consumidores de informações e sim protagonistas dessa troca de conhecimento”, afirmou Sérgio Pereira. “A Rede Social do Café permite aos usuários a criação de postagens, incentivando o debate entre os membros e contribuindo efetivamente para a construção coletiva do conhecimento em café”, completou o pesquisador.

Educação à distância e novas tecnologias – Com o avanço dos sistemas de produção e com a introdução de novas tecnologias, os conhecimentos e as informações ganham importância. Quem tem acesso à informação, possui vantagem para a seleção da tecnologia mais adequada. A informação é importante na gestão dos recursos limitados, além de acelerar a difusão, a transferência e o intercâmbio entre pesquisadores e usuários de sistemas tecnológicos.

Serviço:
Reunião Técnica – “Emprego da Educação a Distância na Disseminação de Conhecimentos e Transferências de Tecnologias no Meio Rural”
UNIFEMM – Centro Universitário de Sete Lagoas
07 de Novembro/2013
À partir das 8 h 30 min até 18 h.

Fonte: Rede Social do Café (Daniela Novaes)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *