Receita com embarque brasileiro de café cai 27,15% em 2012

Imprimir

As exportações brasileiras de café (grão verde e industrializado) totalizaram 28,281 milhões de sacas em 2012, queda de 15,6% sobre as 33,508 milhões de sacas embarcadas em 2011, segundo divulgou há pouco o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Os números estão em linha com as projeções feitas pelo Cecafé, que estimavam os embarques entre 28 milhões e 29,5 milhões de sacas em 2012. O volume se aproxima dos patamares de 2002 e 2007. A partir de 2009, no entanto, se registrou embarque superior a 30 milhões de sacas.

A receita somou US$ 6,353 bilhões no ano passado, recuo de 27,15% sobre 2011 (US$ 8,721 bilhões). O preço médio das vendas externas no ano passado ficou em US$ 224,67 a saca ante os US$ 260,27 registrados em 2011. Mesmo assim, o valor médio das exportações brasileiras do grão ficou acima de 2008 a 2010, segundo relatório do Cecafé.

Mesmo com uma colheita de ciclo de alta (2012/13), estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 50,83 milhões de sacas, as chuvas durante a colheita prejudicaram a qualidade do grão e atrasaram a entrada da nova safra no mercado, a partir de junho e julho, o que contribuiu para a redução dos embarques. A primeira metade de 2012 teve um volume muito pequeno de vendas externas, reflexo da falta de estoque e ainda da safra menor de 2011/12, conforme Eduardo Carvalhaes, sócio-diretor do Escritório Carvalhaes.

Além disso, a menor demanda por parte das torrefadoras em função da crise econômica e o maior uso da espécie robusta nos blends de café torrado e moído (70% da produção brasileira é de arábica, considerada de melhor qualidade), contribuíram para reduzir as vendas externas brasileiras.

Guilherme Braga, diretor-geral do Cecafé, disse que a redução no volume acabou impactando a receita, que também sofreu com a queda nas cotações refletidas nas variações do preço médio. Apesar disso, Braga considera que o desempenho de dezembro se encontrou muito próximo da normalidade quanto ao volume, que ficou em 2,895 milhões de sacas.

Ainda de acordo com relatório do Cecafé, a espécie arábica representou 84,1% das vendas do externas do país, enquanto o solúvel respondeu por 11,7%, o robusta por 4,1% e o torrado e moído por 0,1% das exportações.

A Europa foi responsável pela importação de 53% do total embarcado pelo Brasil, redução de 15% sobre 2011. A América do Norte teve uma fatia de 21%; a Ásia, de 20% (recuo de 4% sobre 2011) e a América do Sul por 4% (alta de 14%).

Os embarques de café foram realizados principalmente pelo porto de Santos, de onde saiu 76,8% do produto exportado (21,712 milhões de sacas).

Fonte: Valor Econômico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *