Receita cambial na safra 2011/12 de café é recorde de US$ 7,84 bi

Imprimir

A receita cambial com exportação de café apresentou elevação de 5,62% na recém encerrada safra 2011/12 (julho de 2011 a junho de 2012). O setor faturou US$ 7,841 bilhões, superando o recorde na safra anterior, que foi de US$ 7,424 bilhões, conforme levantamento do Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé), divulgado nesta quarta-feira.

A maior parte da receita provém da exportação de café verde em grão: US$ 7,143 bilhões ante US% 6,860 bilhões na safra anterior (+4,13%). O País obteve, ainda, receita de US$ 698,005 milhões com café industrializado (solúvel e torrado e moído), alta de 23,69% ante o período anterior (US$ 564,315 milhões).

O diretor geral do Cecafé, Guilherme Braga, informou em comunicado que o desempenho da safra 2011/12 foi dentro do esperado. Segundo ele, ainda é cedo para se ter uma projeção em relação ao próximo ano-safra, que se iniciou este mês. Braga pondera que o setor está cauteloso quanto ao volume e à qualidade do café que serão produzidos em virtude das fortes chuvas que vêm ocorrendo em regiões produtoras. Nesse caso, a variedade mais prejudicada é a de café arábica, que tem maior valor agregado, comentou o diretor-geral.

No primeiro semestre, o País faturou US$ 3,112 bilhões com exportação de café em comparação com o recorde de US$ 3,991 bilhões no mesmo período de 2011 (menos 22,02%).

Em termos de volume, a exportação de café na safra 2011/12 alcançou 29,769 milhões de sacas de 60 kg, representando queda de 14,97% em comparação com a safra anterior 2010/11 (35,010 milhões de sacas).

Segundo o Cecafé, o maior volume embarcado no período foi de café verde em grão (26,482 milhões de sacas), ante 31,812 milhões de sacas na safra anterior. O País exportou, ainda, 3,287 milhões de sacas de café industrializado, das quais 3,236 milhões de sacas em equivalente de solúvel e 50.838 sacas na forma de torrado e moído.

No ano-safra 2011/2012, 83,1% do café exportado foi da variedade arábica, 10,9% de solúvel, 5,8% de robusta e 0,2% de torrado e moído. Conforme o levantamento, o café arábica diferenciado (especial) já tem uma participação de 21% na receita cambial total das exportações.

No primeiro semestre, a exportação está estimada em 12,621 milhões de sacas, nível mais baixo para o período nos últimos anos, só comparável com o primeiro semestre de 2006 (11,624 milhões de sacas).

De acordo com dados do Cecafé, em junho o Brasil obteve receita cambial de US$ 407,785 milhões, em comparação com US$ 719,818 milhões em igual mês de 2011 (menos 43,35%). O volume de café embarcado em junho alcançou 1,882 milhão de sacas, queda de 31,06% ante as 2,730 milhões de sacas de junho de 2011.

O preço médio em junho foi de US$ 216,69 a saca, valor mais baixo desde janeiro de 2011 (US$ 213,16 a saca).

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *