Receita bruta da lavoura dos Cafés do Brasil prevista para 2020 tem aumento de 25% em comparação com 2019

Imprimir

VBP_janeiro_2020Faturamento da lavoura cafeeira de 2019 foi calculado em R$ 20 bilhões e 2020 está estimado em R$ 25 bilhões

A estimativa da receita bruta de todas as lavouras brasileiras, tendo como referência os preços médios recebidos pelos produtores no mês de janeiro, está estimada para 2020 em R$ 438 bilhões. No cálculo desse montante, se for estabelecido um ranking dos cinco primeiros produtos, constata-se que a soja figura em primeiro lugar, com R$ 158,6 bilhões, o que corresponde a 36% do citado valor; o milho, em segundo, com R$ 72,7 bilhões (15,5%); seguido da cana-de-açúcar com R$ 59,16 bilhões (13,5%); algodão herbáceo com R$ 41,4 bilhões (9,5%) em quarto lugar; e, por fim, o faturamento dos Cafés do Brasil, quinto colocado nesse ranking, com R$ 25,06 bilhões, cifra que equivale a 5,7% do total de todas lavouras. Assim, a receita estimada da lavoura cafeeira para este ano representa aumento de aproximadamente 25% em relação ao faturamento de 2019, o qual atingiu R$ 19,94 bilhões.

Neste mesmo contexto, considerando apenas os seis maiores Estados da Federação produtores dos Cafés do Brasil, se for estabelecida uma comparação do faturamento do café com o dos demais produtos, constata-se a seguinte performance: Minas Gerais, que é o maior estado produtor de café, tem o valor bruto de todas as lavouras estimado em R$ 43,73 bilhões e o do café em R$ 15,43 bilhões. Dessa forma, verifica-se que tal montante do café corresponde a 35% do faturamento das lavouras. No segundo estado maior produtor de café – Espírito Santo – o faturamento de todas as lavouras foi estimado em R$ 5,7 bilhões. Estabelecendo esse mesmo comparativo, constata-se que a receita do café, calculada em R$ 4,5 bilhões, corresponde a 79% do total estimado para o ano em curso.

Na sequência, o terceiro maior estado produtor de café – São Paulo – tem a receita bruta de todas as lavouras estimada em R$ 56,36 bilhões e a do café em R$ 2,31 bilhões, que corresponde a 4% do total. A Bahia, quarto maior estado produtor de café, tem as suas receitas das lavouras estimadas em R$ 24,98 bilhões e a do café em R$ 1,14 bilhão, montante que equivale a 4,5% do faturamento total. Em quinto lugar, Rondônia, com R$ 3,35 bilhões de previsão de receita de todas as lavouras e R$ 736,23 milhões para o café, ou seja, 22% do total estimado. Por fim, vem o estado do Paraná, o sexto produtor de café no País, que apresenta um faturamento total das lavouras de R$ 48,94 bilhões e café com R$ 452,4 milhões, cifra que corresponde a 1% do total.

Os dados e números, tanto do faturamento total das lavouras de todos os estados da Federação, como especificamente dos seis maiores estados produtores de café, objeto desta análise, foram obtidos do Valor Bruto da Produção – VBP, que é elaborado e divulgado mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa, desde 2005. No que concerne exclusivamente aos Cafés do Brasil, a partir de julho de 2014, as edições do VBP passaram a ser disponibilizadas no Observatório do Café, do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Cálculo do VBP do Café – Tem como base a safra anual estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e os preços médios recebidos pelos produtores divulgados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – Cepea, da Universidade de São Paulo – USP.

Por fim, recomendamos que acessem o site do Observatório do Café para analisar o Valor Bruto da Produção – VBP de janeiro de 2020, pelo link:

http://www.sapc.embrapa.br/arquivos/consorcio/informe_estatistico/VBP_01_2020.pdf

Confira as ANÁLISES (Análises e notícias da cafeicultura) divulgadas pelo Observatório do Café no link abaixo:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/noticias 

Acesse também as publicações sobre café e portfólio de tecnologias do Consórcio Pesquisa Café:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/publicacoes/637

Conheça a nova estrutura do Conselho Deliberativo da Política do Café – CDPC, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, o qual é regulamentado pelo Decreto nº 10.071, de 17 de outubro de 2019 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/decreto/D10071.htm) 

Chefia Adjunta de Transferência de Tecnologia da Embrapa Café

Texto: Thiago Cavaton e Lucas Tadeu Ferreira – MTb 3032/DF

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *