Quase metade da produção mineira de café passa por cooperativas

Imprimir

No ano internacional do cooperativismo, um dos setores que vem mostrando a importância do trabalho das cooperativas é o cafeeiro. Em regiões como o sul e o cerrado de Minas Gerais, mais de 90% do café passa pelas cooperativas.

Isso não acontece, por exemplo, na zona da mata e no Espírito Santo, onde os produtores preferem atuar de maneira independente. As cooperativas estão investindo na profissionalização, da gestão até a venda. No caso da Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Coxupé), do município de Guaxupé, a estratégia é a realização de 16 eventos chamados de “unidades demonstrativas”, organizados sempre às vésperas da colheita.

– O objetivo é reunir toda a família dos produtores para levar apresentar as novidades do mercado em tecnologia e produtos de controle fitossanitário. Para mecanização das lavouras e, principalmente, redução de custos – afirma o gerente Alexandre Costa Monteiro.

Região sul de Minas Gerais deve colher perto de 13 milhões de sacas
 
A região deve colher perto de 13 milhões de sacas. Com esse volume, que representa metade da produção mineira, a preocupação neste inicio de safra é manter os produtores bem informados e estimulados para enfrentar o mercado e a concorrência. Os cafeicultores, por sua vez, estão cada vez mais exigentes.

– O mundo quer cada vez mais qualidade. É isso que a gente ouve dos nossos compradores de café e é isso que a gente tem que procurar atender. Afinal, quem dá as cartas é o consumidor. Quem bebe um café bom não quer um café ruim nunca mais – afirma o cooperado Osvaldo Bachião Filho.

Fonte: Canal Rural 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *