Q-Graders atestam qualidade de cafés especiais no Norte Pioneiro

Imprimir

O crescimento do mercado de cafés especiais profissionalizou o setor. Além do conhecimento profundo das características presentes em cada bebida, a transparência, em todo o processo de análise dos grãos, é fundamental para avaliar e estabelecer preços justos para a venda dos lotes de cafés especiais.

Atualmente, os principais concursos de qualidade e as transações internacionais que envolvem o produto contam com a participação obrigatória de Q-Graders, profissionais classificadores e degustadores de café.

No Brasil, existem cerca de 50 Q-Graders. Quatro deles foram licenciados, em fevereiro deste ano, e vão atuar diretamente no Paraná – um em Curitiba e os demais no Norte Pioneiro, que contempla o Projeto de Cafés Especiais, uma iniciativa da Associação Cafés Especiais do Norte Pioneiro Paraná (Acenpp), Sebrae/PR e de entidades parceiras para fortalecer o segmento.

O Q-Grader pode ser comparado a um enólogo, no universo do vinho, e utiliza referências de características sensoriais e defeitos da bebida, baseados em um mesmo critério de avaliação mundial.

Para Odemir Capello, consultor do Sebrae/PR , o licenciamento de três Q-Graders, que estarão presentes no Norte Pioneiro, é relevante para o Projeto. "A avaliação do Q-Grader é uma chancela que comprova a diferenciação do nosso café", avalia.

José Antônio da Silva Rezende, consultor do Projeto de Cafés Especiais e um dos Q-Graders licenciados, explica ainda que o Q-Grader está habilitado para analisar todas as etapas da produção, da semente à xícara. "O laudo emitido pelos Q-Graders tem validade no mundo todo. Para os nossos produtores, a presença de degustadores licenciados no Paraná é muito importante, pois o produto sairá do Estado com um laudo assinado, atestando sua qualidade."

Luiz Roberto Saldanha, presidente da Acenpp, também foi licenciado com a certificação. Ele explica que o Q-Grader atua em quatro frentes: encontra o grão, faz sua identificação e descrição, além de ser responsável pela comunicação com o mercado, mostrando sua diferenciação por meio de um laudo. "O Q-Grader avalia toda a parte da produção e promove a validação do café especial, conferindo notas específicas para cada atributo do produto. Antes, essa metodologia não existia no Paraná", enfatiza.

Odemir Capello, do Sebrae/PR, acrescenta que os Q-Graders também podem contribuir na melhoria da qualidade dos grãos produzidos no Norte Pioneiro. "Eles poderão mostrar para os produtores de café os ‘defeitos’ da bebida e apontar sugestões para alcançar a excelência na produção", aposta o consultor.

Q Grader

A formação de um Q Grader (título que pode ser traduzido como Avaliador Q, onde Q é de Qualidade) abrange conhecimento de todas as etapas de produção do café. Os candidatos devem passar por rigorosos exames, que têm a duração de cinco dias para ganhar a sua certificação.

O Exame Q Grader foi desenvolvido pelo CQI (Coffee Quality Institute), com base na metodologia da SCAA (Specialty Coffee American Association) e confere ao degustador certificado à chancela e à credibilidade para avaliar cafés do mundo inteiro.

O foco de trabalho do Q Grader é em comércio de cafés com qualidade certificada. O profissional aprende a avaliar 36 diferentes origens, como Etiópia, Kenya, Indonésia, Colômbia, Guatemala, Brasil, entre outras.

O exame é composto pelos seguintes itens: conhecimentos gerais do café, testes de habilidade sensorial, teste olfativo, teste de triangulação, teste de ácidos orgânicos, identificação de amostras de torras, café verde, teste de torra e testes de xícaras (sensorial).

Folha de Londrina – Londrina/PR – GERAL – 29/03/2012 – 17:15:00

Redação FolhaWeb

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *