Programa de Turismo Rural chega à região de Manhuaçu (MG) com proposta de criar rota do café

Imprimir
Manhuaçu (MG) e cidades vizinhas são municípios movidos pela cafeicultura e é com foco nesse setor que o Senar Minas e o Sindicato de Produtores Rurais do município levam para a região o programa Agente de Turismo Rural. Durante seis meses, uma turma formada por produtores rurais e representantes da administração municipal de Luisburgo, Manhuaçu e Reduto irá aprender sobre importantes temas e desenvolver habilidades para estruturar e impulsionar o turismo com base na Cafeicultura.

As aulas com os 15 alunos começaram na última semana com o primeiro de seis módulos: “Produtos e Serviços Turísticos”. O programa foi precedido por um levantamento regional. Esse trabalho, feito pela turismóloga e instrutora, Fernanda Corrêa da Silva, ocorreu em agosto e possibilitou identificar as potencialidades e oportunidades turísticas.

“O potencial turístico é voltado para o agroturismo e poderiam ser desenvolvidos projetos de roteiros de turismo nas propriedades pensando no café, que é muito forte. O programa permite oferecer outras possibilidades econômicas para essas propriedades. Hoje muitas pessoas se deslocam para tomar bons cafés e a região tem muitas propriedades de cafés especiais. A região de Manhuaçu tem esse perfil para se tornar referência em turismo, aproveitando essa identidade, essa vocação”, explicou.

Segundo a mobilizadora dos eventos do Senar na região, Isaura Pereira da Paixão, a expectativa do Sindicato é a melhor possível. “Esperamos que o resultado seja favorável e que os futuros agentes tenham condições de impulsionar o agroturismo e criar uma rota do café na região”, destacou.

Uma das participantes é a cafeicultora Camila Aparecida Barbosa de Oliveira, que junto do marido Lázaro, produz o Café do Sonho. Além da lavoura, eles criaram uma cafeteira em casa, no distrito de Santo Amaro, em Manhuaçu. Os clientes do café, vendido em grãos, moído e cápsula, estão na cidade e em outros estados.

“Fui me interessando pelo café, fiz vários cursos e hoje trabalhamos da lavoura até a xícara. Por acreditar na rota do café, decidi participar do programa. Minha expectativa é que, com esse projeto, a nossa região seja reconhecida pelo que temos de mais precioso, que é o café e seus derivados. O programa mostra não só para a população, mas para os turistas que o café é uma arte”, afirmou.

O próximo módulo, sobre Segurança, está previsto para a semana de 22 a 25 de outubro. Os demais, sobre Condução, Hospedagem, Alimentação e Comercialização, serão realizados nos meses seguintes, um a cada mês.

Programa Agente de Turismo Rural em Manhuaçu (6)

| Região de Ouro Preto

De grande relevância na História mineira e repleta de belezas naturais, a região de Ouro Preto também está recebendo este programa com o intuito de enriquecer a vocação turística e contribuir com o desenvolvimento de novas modalidades que envolvam o campo.

Quinze alunos de Ouro Preto e Itabirito participam do treinamento no Parque do Itacolomi, em parceria com o Sindicato de Produtores Rurais de Mariana. Na próxima semana é a vez do terceiro módulo: Condução de Turistas.

| Resultados

O programa já alcançou importantes resultados neste ano em Catas Altas, Ponte Nova, Rio Casca, Santo Antônio do Grama e Urucânia.

Na região de Ponte Nova, em parceria com o Sindicato de Produtores Rurais de Ponte Nova e o Circuito Turístico Montanhas e Fé, foram criados quatro roteiros turísticos, um prato regional e a proposta de instalação de um Centro de Atendimento ao Turista (CAT). Os roteiros exploram aspectos religiosos e históricos, belezas naturais, gastronomia e aventura.

Já em Catas Altas, os agentes de turismo rural passaram a realizar a condução em trilhas e se tornaram parceiros da Prefeitura.

Fonte: Assessoria de Comunicação Senar Minas – Regional Viçosa (Por Nathalie Guimarães)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *