Programa de Pós-Graduação em Tecnologias e Inovações Ambientais da UFLA tem primeira defesa com tema café

Imprimir

O Programa de Pós-Graduação em Tecnologias e Inovações Ambientais, modalidade Mestrado Profissional, criado no início de 2012 teve sua primeira defesa de dissertação. A mestranda Beatriz Terezinha Rosa abordou o tema Caracterização das Boas Práticas Agrícolas e Roteiro metodológico para certificação da cafeicultura familiar no Sul de Minas. Beatriz teve orientação do professor do Departamento de Ciências Florestais, Luís Antônio Coimbra Borges e co-orientação do pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas, Sérgio Parreiras Pereira. Na banca, além do orientador e do co-orientador, estava a pesquisadora Sara Maria Chalfoun de Souza, ligada à Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e o professor do departamento de ciências florestais, José Luis Pereira de Resende.

A apresentação da tese foi realizada na ultima segunda-feira (21/7), no Anfiteatro do Laboratório de Estudos e Projetos em Manejo Florestal (LEMAF), da Universidade Federal de Lavras. O curso tem como objetivo formar profissionais qualificados, com conhecimento multidisciplinar, capazes de viabilizar soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável, sobretudo no que diz respeito à utilização dos recursos naturais de forma social e ambientalmente responsável.

Com a participação do pró-reitor de Pós-graduação, professor Tadayuki Yanagi Junior, e pela coordenadora do Programa, professora Adelir Aparecida Saczk foram abertos os trabalhos.

O tema

O objeto de pesquisa da pós-graduanda foi Associação dos Agricultores Familiares de Santo Antônio do Amparo, (Afasa), que resultou em um roteiro metodológico a ser utilizado pela associação em busca da certificação Fair Trade. Beatriz observou a demanda de mercado para produtos sustentáveis e identificou a importância da certificação na agregação de valor ao café. Foi aplicado um questionário a 31 produtores na busca de identificar o perfil e o emprego de boas práticas agrícolas em todas as etapas de produção de café nas propriedades rurais. A certificação agrícola pode ser uma ferramenta de gestão que possibilite o acesso de pequenos produtores de café a mercados sustentáveis, que são mais lucrativos.

As propriedades cafeeiras foram caracterizadas na dissertação de acordo com os princípios das Boas Práticas Agrícolas (BPA) realizadas pelos cafeicultores para a produção do café. A certificação agrícola é baseada nos princípios das BPA’s que priorizam o tripé da sustentabilidade priorizando critérios sociais, ambientais, econômicos de higiene e segurança alimentar na produção dos alimentos.

O roteiro metodológico, criado por Beatriz, visa direcionar o cafeicultor com relação às práticas agrícolas corretas a se implantar na propriedade para a produção de um café sustentável e que esteja de acordo com as normas de conduta dos programas de cerificação.

Fonte: Ascom UFLA via Rede Social do Café (Daniela Novaes)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *