Programa de Georreferenciamento é implantado pela Cocatrel e Polícia Militar

Imprimir
A Polícia Militar, em parceria com a Cocatrel, colocou em prática um programa voltado para o cadastramento de propriedades e imóveis rurais, através do mapeamento com coordenadas geográficas e coleta de informações, tendo em vista os milhares de imóveis e propriedades rurais na zona rural de Três Pontas.

Este programa tem como foco agilizar o atendimento policial e otimizar os recursos e dispositivos operacionais, voltados para o desenvolvimento das rondas preventivas, desenvolvidas pela Polícia Militar no município e região.

O presidente da Cocatrel, Francisco Miranda de Figueiredo Filho, falou sobre esta parceria. “A cooperativa recebe diariamente muitas reclamações dos cooperados, em busca de soluções para melhorar a segurança no campo e nós vimos, com este projeto da polícia, uma forma de resolver esta demanda. Assim, com este recurso, ficará mais fácil localizar as propriedades rurais e mapear a área em torno dela. Nossos agrônomos e técnicos estarão à disposição, para que juntos com a PM, façamos este mapeamento para conseguirmos, a curto prazo, melhorar a segurança na zona rural”.

Através deste georreferenciamento, as propriedades e imóveis rurais receberão um código, que será utilizado como um “endereço rural”, e que será utilizado nos momentos das chamadas para a Polícia Militar. O solicitante, além de descrever o fato que o motivou a ligar para a Polícia Militar (seja roubo de propriedade, maquinário, café, arrombamento, ou outros casos suspeitos), informará para o atendente do serviço de emergência policial – o 190 – o código e, a partir deste código, com o emprego de aplicativo de celular e/ou no sistema em um computador, indicará o caminho exato até o local da ocorrência.

“O maior desafio do projeto está na localização de um endereço, pois é imensa a área rural de Três Pontas, com centenas de quilômetros que integram a malha viária rural, milhares de residências e, em algumas situações, nomes de propriedades homônimas. O tempo em que uma viatura gasta procurando informações, com trabalhadores e outras pessoas, sobre a localização do local do fato, em uma área rural, praticamente não mais existirá e, este tempo, será deduzido para o atendimento de uma ocorrência”, explicou o Cabo Miele, um dos responsáveis pelo projeto.

Assim que todo o cadastro estiver pronto, a PM visa aprimorar a capacidade de respostas, em situações de solicitação do atendimento via 190, agilizando o atendimento ao cidadão. Ela também pretende melhorar os estudos e análise da criminalidade na zona rural, que servem de parâmetros para o planejamento de operações e otimizar as rondas ostensivas e preventivas, voltadas para a prevenção criminal. Além disso, aprimorar as ações de repressão voltadas para a localização e prisão de criminosos.

Além de Três Pontas, as cidades próximas como Varginha, Elói Mendes, Monsenhor Paulo, Ilicínea, Guapé e Boa Esperança, dentre outras, e que integram a área de responsabilidade do 24º BPM já iniciaram os trabalhos. Outras cidades do Sul de Minas já desenvolvem tal atividade. Com relação à Santana da Vargem, cuja responsabilidade territorial cabe ao Comando da 151ª Cia PM, há previsão de início do cadastro a partir de 2018.

Fonte: Ascom Cocatrel (Por Thalise Silva)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *