Produtores participam de curso sobre colheita e pós-colheita de café em Cacoal (MG)

Imprimir
Produtores rurais participaram nesta semana de um curso de capacitação sobre colheita e pós-colheita de café, em Cacoal (RO), a 480 quilômetros de Porto Velho. A iniciativa faz parte do projeto ‘Cafeicultura de Rondônia’, que orienta os cafeicultores sobre gestão de propriedades rurais, dentre outros conceitos.

Aproveitando o momento da colheita do café, o curso foi ofertado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Governo do Estado de Rondônia.

Segundo a analista técnica do Sebrae em Cacoal, o curso faz parte do projeto ‘Cafeicultura de Rondônia’, que é custeado pelo Governo do Estado e tem duração de quatro anos.

A capacitação começou em 2016 e, durante esse período, os cafeicultores receberão noções sobre plantação, gestão das propriedades rurais, além de participarem de eventos relacionados ao café fora do estado e receberem acompanhamento individual no campo.

“No estado, nós estamos no momento da colheita. Então, esse curso é primordial para os participantes estarem atualizados com informações reais do que temos de mais novo no Brasil e no mundo”, disse a consultora.

Curso teve capacitação prática e teórica (Foto: Magda Oliveira/G1)

O curso teve duração de dois dias. No primeiro, os participantes assistiram a parte teórica em uma sala na sede do Sebrae. Para o segundo dia, estava prevista a capacitação prática em uma propriedade localizada na Linha 6. De acordo com o produtor Luciano Peterd, de 28 anos, que é o proprietário do local, a participação no projeto tem ajudado a aumentar a produtividade de sua lavoura.

“Lá, eu tenho seis hectares de café clonal plantados, onde consigo colher cerca de 150 sacas do grão por hectare. Ao longo dos anos, essa produtividade vem aumentando, pois costumo aplicar o que aprendo nessas capacitações em minha propriedade e tenho percebido que tem dado resultado”, disse o agricultor.

Ao final do projeto, a expectativa do Sebrae é que 90% dos produtores rurais que participaram da iniciativa estejam aplicando controles de gestão em suas propriedades, aumentem a produtividade das propriedades, bem como a produção de cafés especiais.

“Esses cafés especiais têm valor agregado e gera uma renda muito maior para o produtor, pois ele pode ter uma produção pequena, mas a renda maior. Em Cacoal, nós já temos a produção de cafés especiais, mas essa produção pode melhorar”, acredita.

Participam do projeto 300 agricultores e técnicos de sete municípios de Rondônia, além de um comitê gestor composto pelas principais entidades ligadas a cafeicultura do estado.

Fonte: G1 Cacoal e Zona da Mata (Por Magda Oliveira)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *