Produtores de Honduras precisam de fundos para se recuperar da ferrugem

Imprimir

Os cafeicultores de Honduras necessitam ao menos de US$788,6 milhões para combater os efeitos da ferrugem e renovar os cafezais afetados pela praga, que ocasionou na perda de 1,4 milhões de sacas e US$643 milhões.

Em uma coletiva de imprensa, o presidente da Central de Cooperativas Cafeeiras de Honduras (CCCH), Dagoberto Suazo, se juntou a outros produtores de café e informou o problema. A praga afetou cerca de 70.000 hectares, o que representa 25% da produção total do país, de 280.000 hectares. "Não há bancos e nem um sistema que ofereça financiamento aos produtores", apontou.

As exportações hondurenhas de café estão nas mãos de 100.000 pequenos agricultores. 16% deles são mulheres que produzem 10% do total da colheita. As exportações caíram em 643 milhões de dólares e houve uma perda expressiva na produção 2012/13.

Tatiana Lara, uma pequena produtora de café e membro da CCCH, disse que as mulheres são mais afetadas pela ferrugem porque não possuem recursos necessários para "atender e recuperar" os hectares danificados. Assim, as produtoras exigem maior apoio do estado para contornar os problemas com as lavouras e também com a queda de preços no mercado internacional. "As mulheres produtoras estão sendo ignoradas nas políticas de governo quanto à assistência técnica e de fundos para a produção", apontou.

Apenas 11% das mulheres possuem acesso aos fundos destinados a créditos agrícolas e apenas 25% recebe assistência técnica.

O café é a principal exportação de Honduras. Para a safra 2013/14, o país pretende produzir 6 milhões de sacas.

Fonte: America Economia via Notícias Agrícolas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *