Produtores de café temem quebra na safra devido ao clima em Caconde

Imprimir

Em Caconde (SP), os cafezais acabaram de florir, mas o calor e o tempo seco devem prejudicar a safra. O cafezal ganhou um colorido diferente com as flores que tomam conta de toda lavoura.

Esta é a primeira das três floradas do café até o mês de novembro e é a mais importante. Com ela já é possível estimar a produção. Quanto mais flores no pé, maior a quantidade de grãos, por isso o clima nessa fase é a principal preocupação.

“Temperaturas altas e baixa umidade para essa primeira florada não é bom, pois essas condições não são favoráveis. A gente vai ter alguma queda em função disso”, avalia o técnico em cafeicultura Arivaldo de Moraes.

Os grãos começam a surgir em novembro e estarão prontos para a colheita entre os meses de maio e junho. Mas, para garantir qualidade, o produtor começa a planejar a lavoura durante a primeira florada. “Baseado nela é que vamos estar preparando o trato da lavoura, que produto e que quantidade usar”, explica o produtor Fábio de Oliveira Costa.

A estimativa é que a próxima safra na cidade seja 40% menor que a deste ano por causa da queda natural da produção nas lavouras. Para o próximo ano, a previsão é que sejam colhidas 130 mil sacas de 60 quilos, segundo dados de uma cooperativa de produtores.

Caconde tem mais de oito mil hectares destinados ao cultivo do café. Neste ano foram produzidas 245 mil sacas de 60 quilos, número que será menor em 2013 porque a cafeicultura alterna um ano de alta produtividade com um ano de menor produção.

“Nós temos em 2012 uma produção alta e é natural que as plantas se desgastaram e vão produzir menos nessa próxima safra. Então qualquer fruto que a gente conseguir deixar na planta é interessante por conta do pouco café que será a próxima safra”, diz o técnico em cafeicultura.

Do G1 São Carlos e Araraquara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *