Produtores de café conilon do ES querem renegociar as dívidas

Imprimir

Com menos de um ano, os pés de café conilon já estão bem desenvolvidos, mas o que era para ser uma esperança de aumentar os lucros, virou preocupação para o produtor Jonacir Tamanini.

Ele financiou cerca de R$ 50 mil para ampliar a lavoura, só que agora não sabe como vai pagar a dívida. Jonacir não contava que o preço do café fosse cair tanto.

O Governo Federal anunciou que vai renegociar as dívidas dos cafeicultores que já estão vencidas e prorrogar o pagamento das que ainda estão para vencer. O problema é que a medida só vale para os produtores de café arábica.

Quem cultiva o conilon está preocupado com a situação. Para alguns, o jeito é deixar de investir na lavoura para conseguir quitar as parcelas dos financiamentos.

O produtor Antônio Carlos  Zanotelli financiou R$ 30 mil para plantar 10 mil pés de conilon. Em maio do ano que vem, vence a primeira parcela no valor de R$ 6 mil. Para conseguir arcar com o compromisso, o jeito vai ser cortar gastos. “Pretendo diminuir a adubação e evitar gastos com mão de obra”, diz.

O problema é que, sem os cuidados necessários, a produção vai ficar prejudicada.

O produtor contava com a ajuda do governo, mas de acordo com o diretor do Departamento de Café do Ministério da Agricultura, Jânio Zeferino, os produtores de conilon não foram incluídos no pacote de medidas porque o grão está sendo vendido acima do preço mínimo, que é de R$ 157.

Fonte: Globo Rural 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *