Produtores acreditam no programa ATeG como ferramenta de crescimento

Imprimir
Dezenas de produtores rurais de Antônio Prado de Minas, Eugenópolis, Pedra Dourada e Tombos participaram das primeiras reuniões do programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) na Regional de Viçosa. Eles atuam na Bovinocultura de Leite e na Cafeicultura e demonstraram forte interesse na iniciativa do Sistema Faemg / Senar Minas como ferramenta para alcançar importantes melhorias.

Em andamento em Minas Gerais desde 2016, o programa tem a finalidade de auxiliar os produtores a vencer desafios por meio da implementação de métodos inovadores de produção associada à consultoria gerencial.

O programa começou contemplando a Cafeicultura e será ampliado para sete cadeias a partir deste ano: Apicultura, Avicultura, Bovinocultura de Leite, Fruticultura, Olericultura e Piscicultura. Produtores de cerca de 90 municípios serão beneficiados.

“A expansão do programa foi pensada para atender as principais cadeias econômicas da regional: café e leite. O café já é bem recebido. O leite é o desafio: melhorar a produtividade e a qualidade na região” comentou a gerente regional do Senar Minas em Viçosa, Silvana Novais.

Oportunidade

O produtor Reginaldo de Carvalho Rodrigues é cafeicultor há mais de dez anos em Eugenópolis. “Ter um técnico para nos acompanhar faz muito falta. A nossa vontade é de trabalhar da forma certa, mas a falta de motivação com a atividade nos faz trabalhar de qualquer maneira. A orientação nos levará essa motivação para alcançar melhores resultados, além de agregar valor ao produto e unir os cafeicultores da região”, explicou.

Já produtor Gilvan Pompéu, de Eugenópolis, trabalha na Bovinocultura de Leite há cerca de 15 anos. Para ele, o programa representa a possibilidade de quebrar paradigmas.

“A proposta é maravilhosa. É o que estamos precisando na região, que é de pequenos produtores. A parte técnica é um desafio, além do paradigma de sempre fazer igual ao que era feito pelos nossos avós”, contou.

Para o presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Eugenópolis, José Maria Bouzada, é importante para o município receber o programa.

“Hoje não temos assistência técnica nenhuma e infelizmente o nosso produto é muito desvalorizado. O programa vai ajudar no crescimento da atividade”, analisou.

“O produtor terá a oportunidade de ter acesso à teoria e à prática com acompanhamento periódico”, complementou o presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Antônio Prado de Minas, Eymard de Abreu.

Sebastião de Oliveira Cortat é mobilizador dos dois sindicatos e acredita que a chegada do programa vai suprir a carência dos produtores. “Sem dúvida vai ajudar os produtores nessas duas cadeias que são a base dos municípios”.

Além de Antônio Prado de Minas, Eugenópolis, Pedra Dourada e Tombos, o município de Divino também recebeu a apresentação sobre o programa, que ainda será levado para Dom Silvério, Luisburgo, Manhuaçu, Mariana, Miradouro, Ponte Nova e Sem Peixe.

Veja as turmas previstas para a Regional do Senar Minas em Viçosa:

– Três de Cafeicultura: Divino; Eugenópolis, Tombos e Pedra Dourada; Manhuaçu e Luisburgo.

– Cinco de Bovinocultura de Leite: Mariana; Dom Silvério com Sem Peixe; Região de Ponte Nova; Miradouro; Eugenópolis e Antônio Prado de Minas.

Assistência Técnica e Gerencial

O trabalho é fundamentado em cinco etapas: diagnóstico produtivo individualizado, planejamento estratégico, adequação tecnológica, capacitação profissional complementar e avaliação sistemática de resultados prezando ainda pelos pilares ambiental e familiar.

Cada técnico monitora e orienta um grupo de produtores com a realização de visitas mensais a cada propriedade. A duração é de quatro anos na área de Cafeicultura e de dois anos para os demais setores. A previsão é de que as novas turmas comecem entre junho e julho.

Fonte: Assessoria de Comunicação Senar Minas – Regional Viçosa (Por Nathalie Guimarães)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *