Produtora atendida pelo ATeG é campeã de Concurso de Qualidade de Café das Mulheres, em Manhuaçu (MG)

Imprimir
Criado em 2013 pelo Senar Nacional, o Programa ATeG leva a pequenos produtores rurais assistência em gestão da propriedade e técnicas de produção. É direcionado a quem nunca recebeu assistência técnica regular e tem duração de dois a quatro anos. Em Minas Gerais, o Programa atua em dez cadeias do agronegócio: Apicultura, Avicultura, Bovinocultura de Leite e de Corte, Cafeicultura, Fruticultura, Olericultura, Ovinocultura, Piscicultura e Agroindústria artesanal.

Entre os mais de 3.600 produtores rurais atendidos no estado, estão Aline da Silva Amaral Nunes e Hobermayer Ricardo Nunes, casal produtor de café especial, de Luisburgo, Zona da Mata mineira. Os dois nasceram entre os pés do grão e a produção do café sempre foi a atividade econômica responsável pelo sustento da casa. Mas, com o tempo, perceberam que precisavam de mais. Foi nessa busca por novos caminhos que encontraram o café especial e, a partir dele, descobriram o Senar Minas.

“Já trabalhávamos com café, mas precisávamos entender melhor a cadeia de produção dos cafés especiais. Por isso, fomos atrás de conhecimento e descobrimos os cursos oferecidos pelo Senar”, conta Aline.

Com os ensinamentos do Senar, o casal afirma ter descoberto todo o potencial do café produzido em suas terras. “Aprendemos técnicas de preparo do nosso café, para melhorar a qualidade e agregar valor ao nosso produto”, explica.

Não demorou muito para que o trabalho e a dedicação fossem reconhecidos. “Em 2018, participei do 3º Concurso de Qualidade de Café das Mulheres, promovido pela Coorpol, cooperativa que sou associada, e conquistei o 2º lugar”, destaca Aline.

Mesmo com as conquistas do café especial produzido no sítio Velho Chico, Aline e Hobermayer ainda sentiam a necessidade de aprender mais. “Foi então que fomos apresentados ao programa ATeG do Senar e iniciamos uma nova jornada, que desde junho está mudando completamente a nossa visão sobre a nossa propriedade, tanto na parte técnica, quanto no gerenciamento. Todo mês recebemos a visita do agrônomo Sebastião Marcos de Mendonça e é incrível o quanto temos aprendido com ele sobre o processo de produção de café, controle de gastos, investimentos necessários e também o planejamento para o futuro. Mesmo vivendo da cafeicultura desde que nascemos, o Programa nos mostrou que estamos apenas no início de uma caminhada de muitas mudanças e trabalho para melhorias em nosso Sítio”, analisa a produtora.

No último mês, Aline foi a grande vencedora da 4º edição do Concurso Coorpol de Qualidade dos Cafés das Mulheres (foto acima). A escolha foi realizada por meio de avaliação feita por um juri especializado e da votação popular.

“A cada dia precisamos ser mais eficientes em produzir café com quantidade e qualidade e neste ponto o programa do ATeG do Senar é excelente. Com ele, o produtor enxerga sua propriedade como uma empresa, nos mínimos detalhes, e isso faz toda a diferença. Nós, técnicos de campo do Programa, acompanhamos a propriedade e auxiliamos o produtor na tomada de decisão. É um projeto grandioso que, a cada dia, tem despertado o interesse de mais produtores”, avalia o técnico Sebastião.

Fonte: Ascom Senar MG – Regional Viçosa (Por Kamilla Bitarães)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *