Produtor que descuidou não aproveita bom momento

Imprimir

O cafeicultor que durante o último período de dificuldades do setor deixou de investir em tratos culturais, agora não está conseguindo aproveitar o bom momento da atividade, cujos preços são considerados remuneradores.

O gerente comercial de café da Cocamar, Adenir Fernandes Volpato, afirma que a cafeicultura, hoje uma das atividades mais atraentes e rentáveis do agronegócio, continua dando pouco ou quase nenhum retorno para aqueles que, no passado recente, descuidaram da lavoura. "A recuperação das árvores é lenta, não tem como ser imediatista", diz.

Volpato observa que o produtor precisa conduzir a sua atividade com profissionalismo e mentalidade empresarial. "O negócio não é só produzir café, é colher resultados". Ele explica: é preciso ter qualidade que atenda às exigências do mercado, produtividade e custo reduzido para ser competitivo.

A média de produtividade na região da Cocamar está ao redor de 15 sacas beneficiadas por hectare, considerada baixa. "O ideal é que fosse o dobro", afirma o gerente. Nesse patamar, garante ele, há muita gente que acaba levando prejuízo.

O recado é dirigido também àqueles que investiram e agora estão lucrando: "É preciso, mesmo neste momento positivo, continuar reduzindo custos".

Fonte: CafePoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *