Produção de café pode ter aumento na rentabilidade

Imprimir

A expectativa é que o plantio de café no país cresça 5% em 2010. Para aproveitar o momento favorável, produtores devem investir em equipamentos mais eficientes, especialmente para a colheita

O ano de 2009 fechou em alta na produção cafeeira, com aumento de 4,15%, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic). No total, foram 18,39 milhões de sacas, com expectativa de aumento em 5% para 2010, chegando ao valor de 19,31 milhões. Para aproveitar a boa expectativa de safra e aumentar a produtividade neste cenário promissor, os produtores contam com a mecanização da coleta de grãos e no manejo da cultura.

Na cultura cafeeira, a colheita representa pelo menos 50% dos custos, sendo a outra metade dividida entre fertilizantes (30%) e demais despesas como água e energia; é o que aponta o estudo elaborado pela P&A Consultoria, especializada no setor cafeeiro. Para Elói Fernandes, diretor de Vendas da Husqvarna, multinacional especializada no desenvolvimento de produtos para o manejo de áreas verdes, o investimento em soluções inovadoras não poderia vir em melhor hora. “Em vez de deixar para agir na contenção de recursos quando o período está complicado, como aconteceu na crise financeira global, os produtores hoje têm a chance de repensar suas técnicas de manejo em um cenário favorável para produção cafeeira”, diz.

O executivo ressalta que o mercado oferece poucas soluções integradas e eficientes para quem busca novas tecnologias e maior produtividade. “Pensando nesta demanda, elaboramos o ‘Kit Café’ para o produtor, que é composto por diversos equipamentos que garantem a melhoria na produtividade e rentabilidade em todas as fases”. A inovação desenvolvida pela empresa, que estréia no setor cafeeiro, é um kit multifuncional com o objetivo de auxiliar o produtor na compra dos equipamentos necessários. “Ao invés de adquirir várias máquinas para diversas utilidades, oferecemos um pacote mais prático e versátil”, destaca Fernandes.

A novidade é composta por quatro equipamentos essenciais: os Aparadores, com seus acessórios para podar e esqueletar; o Atomizador; o Soprador; e uma motosserra.

O que cada máquina pode fazer pelo produtor
O Atomizador é um equipamento de alta eficiência e de fácil manuseio, utilizado principalmente para a aplicação de defensivos agrícolas. Seu mecanismo impulsionado por um potente jato de ar permite o lançamento de insumos líquidos alcançando até 12 metros tanto na vertical quanto na horizontal. Isso garante uma perfeita uniformidade na aplicação dos insumos e uma maior proteção ao cafezal.

Já a família de Aparadores 327 funcionam perfeitamente como máquinas de derriçar. O diferencial é a possibilidade de adicionar os acessórios disponíveis, tornando possível ainda utilizá-los no esqueletamento e poda do café. Ainda vale ressaltar que estes equipamentos também são acompanhados de um cabeçote com fio de nylon para serem usados como roçadeira, atividade essa também requisitada dia a dia do campo.

Soma-se a toda essa tecnologia, o soprador 356BTx, ideal para a limpeza do cafezal e do terreiro com mais facilidade e eficiência. Desenvolvido para uso profissional, é um produto com conceito revolucionário e conta com baixos níveis de ruído do motor.

“Este conjunto do Kit Café reflete o nosso compromisso em desenvolver soluções integradas, aliando tecnologia, segurança e eficiência aos mais modernos equipamentos”, explica o diretor. “Vale lembrar que, em um futuro bem próximo, queremos ajudar cada vez mais o produtor a ter acesso ao mais alto nível de tecnologia, aliada à mitigação de riscos por meio de operações estruturadas, pois acreditamos muito no desenvolvimento e crescimento da cafeicultura no Brasil”, finaliza Elói. As informações são de assessoria de imprensa.

Fonte: Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *