Produção de café na Ásia e Oceania cresce 8,3% e atinge 48 milhões de sacas na safra 2017-2018

Imprimir

relatorio_oic_outubroAmérica do Sul – maior região produtora de café do mundo – teve crescimento de 3,3% nesta safra e atingiu 77 milhões de sacas de 60kg

A produção mundial de café no ano safra 2017-2018 foi estimada em 163,5l milhões de sacas de 60kg, volume que representa um acréscimo de 4,8% em relação ao mesmo período anterior. Desse volume, a produção global de café arábica atingiu 101,23 milhões de sacas e café robusta 62,28 milhões de sacas de 60kg, números que representam crescimento de 1,7% e 10,5%, respectivamente, se comparados com o mesmo período anterior.

Com base nesses dados da performance da cafeicultura, se comparada a safra 2017-2018 com a anterior, verifica-se que houve aumento da produção nas quatro grandes  regiões produtoras de café do planeta. É o caso da maior região produtora de café – América do Sul -, cuja safra aumentou 3,3% e atingiu 76,98 milhões. Em seguida, vêm os países produtores da Ásia e Oceania, região que teve a produção estimada em 47,95 milhões de sacas e crescimento de 8,3%. Na terceira maior região – México e América Central – a produção alcançou 21,34 milhões de sacas com crescimento percentual de 4,3%. Na sequência desse ranking, vêm os países da África, que tiveram aumento de 3,4% e atingiram um volume equivalente a 17,25 milhões de sacas de 60kg.

Os dados para essas análises da cafeicultura em nível mundial foram extraídos do Relatório sobre o mercado de Café – outubro 2018, da Organização Internacional do Café – OIC, sediada em Londres, UK, da qual o Brasil é país-membro. O Relatório, que é divulgado mensalmente, está disponível na íntegra, assim como todas as demais edições desde julho de 2014, no Observatório do Café, do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. Para a OIC, o ano-cafeeiro compreende o período de outubro a setembro.

Referido Relatório sobre o mercado de Café – outubro 2018 traz também como destaque que as exportações mundiais de café arábica ‘verde’ totalizaram 70,95 milhões e as de robusta ‘verde’ 39,24 milhões de sacas de 60kg, no ano-cafeeiro 2017-2018. E, mais que isso, que apenas no mês de setembro de 2018 as exportações mundiais de café totalizaram o equivalente a 9,43 milhões de sacas de 60kg, número 9,3% superior ao mesmo mês do ano anterior.

Conforme os dados da OIC do ano-cafeeiro 2017-2018, ora em destaque, as exportações totais cresceram apenas 2% ao atingir o volume de 121,86 milhões, em relação às 119,52 milhões de sacas de 60kg de 2016-2017. Nesse contexto, ainda no mês de setembro de 2018, o documento ressalta que o Brasil e a Colômbia responderam por 60,4% do total das exportações de arábica verde e o Vietnã por 60% do total das exportações de robusta verde.

Relatório sobre o mercado de Café – outubro 2018 traz um amplo panorama das exportações de café no ano cafeeiro 2017-2018. O Brasil, por exemplo, exportou 32,34 milhões de sacas, volume 9,8% superior às exportações de 2016/17. Com relação ao Vietnã, houve aumento de 21,7%, com a exportação de 28,64 milhões de sacas, em relação à safra passada. Entretanto, as exportações da Colômbia diminuíram 5,7% e atingiram 12,72 milhões de sacas, no mesmo período comparativo. Em Honduras, após alcançar um volume recorde de 7,29 milhões de sacas, no ano anterior, as exportações caíram para 7,14 milhões de sacas na safra deste ano. E Índia, que foi o quinto país maior exportador de café, no mesmo ano cafeeiro 2017-2018, teve suas exportações reduzidas em 1,4%, ao atingir 6,28 milhões de sacas.

Por fim, o Relatório da OIC conclui essas análises das exportações de cafés destacando que as vendas da Indonésia para o exterior foram as que mais decresceram, pois caíram de 8,72 milhões de sacas em 2016-2017 para 5,64 milhões nesta safra. Em Uganda as exportações também diminuíram, depois de um ano de recordes, pois o país atingiu 4,61 milhões em 2016-2017, já que as suas exportações foram reduzidas para 4,36 milhões em 2017-2018. Quanto ao Peru, as vendas ao exterior se mantiveram praticamente estáveis, com 3,96 milhões de sacas. Em contraponto, as exportações da Etiópia e Guatemala aumentaram 4,5% e 5,4%, pois passaram para 3,65 milhões e 3,47 milhões de sacas, respectivamente.

Acesse o Observatório do Café e leia na íntegra o Relatório sobre o mercado de Café – outubro 2018, da OIC, assim como todas as demais edições desde julho de 2014, pelo link:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/noticias/423-dados-mundiais#b

Confira as ANÁLISES (Análises e notícias da cafeicultura) divulgadas pelo Observatório do Café no link abaixo:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/noticias 

Acesse Publicações sobre café e portfólio de tecnologias do Consórcio Pesquisa Café:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/publicacoes/637

Acesse também o Clipping do Observatório do Café – 2018 pelo link:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/clipping/853-clipping-2018

Chefia Adjunta de Transferência de Tecnologia da Embrapa Café

Texto: Lucas Tadeu Ferreira – MTb 3032/DF e Jamilsen Santos – MTb 11015/DF

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *