Produção Ceará retoma produção em região de café sombreado

Imprimir

A busca por cafés de diferentes origens e regiões é uma constante para os especialistas e apreciadores da bebida. Mas graças a casos como o de uma região serrana no Estado do Ceará, ainda é possível ser surpreendido. No Maciço do Baturité, a cerca de 100 km da capital Fortaleza, o café volta a ter destaque enquanto cultura rentável.

Há algum tempo essa possibilidade era distante e só quem tinha acesso eram os próprios pequenos agricultores, que produziam apenas para consumo próprio. Com características próprias da região, a produção, agora, ganha novo fôlego. Há cerca de dois anos o Sebrae começou a trabalhar na revitalização da cultura na área do Maciço do Baturité. “O nosso objetivo é trabalhar para que estes produtores possam ter seus cafés reconhecidos como especiais”, ressalta o consultor e gestor do projeto do Agronegócio do Sebrae no Ceará, Alfredo Alves.

O Estado teve espaço próprio no estande do Sebrae na Semana Internacional do Café 2015, realizada em Belo Horizonte, entre os dias 24 e 26 de setembro, que destacou diversas regiões produtoras. “Nós trouxemos cafés de diferentes produtores para dar visibilidade a eles e, também, uma amostra específica que queremos levar a um provador que possa nos dar um retorno quanto a pontuação dele”. Hoje, cerca de 60 produtores participam do projeto de retomada da cultura e, segundo Alfredo, a meta é atender 75 cafeicultores até o fim deste ano.

Um dos cafés apresentados pelo estande foi o Café do Mosteiro, do Sítio Caridade dos Jesuítas

A maioria das produções possui características que podem levar ao reconhecimento como café orgânico. A produção, que divide espaço com uma área de Mata Atlântica, consiste em cultivo de café sombreado em sistema agroecológico. Por ser plantado consorciado com outras espécies, o café sombreado possui fertilização do solo através das folhas caídas das árvores que fabricam os húmus, fertilizando o solo de nitrogênio. O objetivo do Sebrae é buscar certificar o café da região como orgânico no menor prazo possível.

Origem produtora
De acordo com o Sebrae, nos anos de 1950 a cultura do café sombreado era bastante representativa na economia do Maciço, que chegou a exportar cerca de 30 toneladas de café orgânico certificado, produto diferenciado, com fortes características de comércio solidário.

Por Thais Fernandes/ Equipe Cafe Point

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *