Procafé: Sistemas de aplicação de herbicidas, para controle do mato, no pós-plantio do cafeeiro

Imprimir
Têm ocorrido problemas, temores e até restrições no uso de herbicidas, pra controle do mato, nos cafeeiros jovens, no primeiro ano pós-plantio. No entanto, com técnicas corretas, este sistema, de controle químico, tem se mostrado o mais eficiente e econômico.

Em cafeeiros jovens a concorrência do mato se estabelece de forma mais prejudicial, pois as plantas de café ainda são pequenas, possuem poucas raízes e superficiais e o mato se desenvolve junto á linha, próximo às plantas, aproveitando a área livre, não sombreada. Alí as ervas são favorecidas pelo adubo e a umidade mais presentes no sulco, junto às plantas. Assim, o mato pode concorrer tanto em nutrientes, como em água e, também, em luz, com as plantas novas de cafeeiros.

O sistema tradicional de controle do mato em pós-plantio do café tem sido o que se chama de trilhamento, limpando uma faixa junto à linha de cafeeiros, mais comum usando enxada, porem sendo uma prática onerosa, além disso, ao remover o mato, deixa o solo muito exposto ou rapado. A capina pode, ainda, causar ferimento nas plantas, também pode levar a cortes de mangueiras, quando com irrigação de gotejamento.

Para o uso de herbicidas, visando rapidez, eficiência e economia, sem causar problemas de fito-toxidez às plantas jovens de café, pode-se adotar 3 sistemas básicos –

– 1º) Usar herbicidas seletivos aos cafeeiros jovens, sendo mais usada uma mistura de Verdict ou Select (para fls estreitas) mais Clorimuron(fls largas), na base de 500-800 ml dos primeiros e 100-200 g/ha do ultimo, com melhor desempenho com mato mais novo.

– 2º) Depois do solo limpo ou com pequena cobertura de mato novinho, usar, em jato dirigido, cerca de 3-4 l do herbicida Goal, para ação principal em pré-emergência. No mesmo sistema, caso existam ervas um pouco maiores, pode-se adotar uma mistura do Goal com os herbicidas seletivos citados anteriormente, trabalhando, também, com jato dirigido, procurando não atingir o topo das mudas novas.

-3º) Usar os herbicidas normais, como os a base de Glifosato ou sua combinação com outros mais específicos pra ervas folhas largas, nesse caso com cuidado maior na proteção, usando barras ou carrinhos aplicadores, ou, até, baixando bem o mato e aplicando com bico espuma ou proteção com chapéu de Napoleão. Nesse caso o tamanho do mato pode ser maior.

Uma ultima lembrança. Plantas novas de café com mato ficam pernaltas, fracas e amareladas, com maior ataque de cercospora e bicho mineiro. Portanto, mais no limpo elas apresentam melhor aproveitamento dos adubos aplicados e da água disponível. Assim crescem mais e se formam de modo mais uniforme, alcançando a primeira safra com maior potencial produtivo.

Fonte: Procafé (Por J.B. Matiello – Eng Agr Fundação Procafé e J. Renato Dias e Lucas Franco – Engs Agrs Fdas Sertãozinho) via Notícias Agrícolas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *